Embolia Fibrocartilaginosa

A embolia fibrocartilaginosa ou  Mielopatia embolítica fibrocartilaginosa é uma doença rara, descrita em diferentes espécies, inclusive em humanos. Normalmente acomete cães jovens, entre 3 e 6 anos de idade, de raças médias a grandes. Entre as raças médias/pequenas, a mais acometida é o schnauzer miniatura. É causada por deficiência no suprimento sanguíneo na medula espinhal, devido a presença de um trombo/êmbolo nos vasos sanguíneos, de origem do disco intervertebral (fibrocartilaginoso).

Os sinais clinicos dependem do local em que êmbolo se encontra na medula, geralmente aparecem de forma aguda e não progressiva, com perda do movimento de um ou dos dois membros do mesmo antímero (mesmo lado do corpo), caracterizando hemiparesia (paresia/paralisia dos membros anteriores e posteriores do mesmo lado), não necessariamente acompanhado de quadro doloroso, porém, pode ocorrer um pouco de dor no início, e, com o passar de algumas horas, não há mais dor no local.

Esse é um dado importante para diferenciar de outras lesões na coluna, como hérnia de disco. Estes sintomas, em 50% dos casos, estão relacionados com exercícios agudos ou pequenos traumas, como saltos ou quedas. O diagnóstico definitivo somente é feito por ressonância magnética.

Não há tratamento cirúrgico e nenhum tratamento medicamentoso teve sua eficácia comprovada. Sendo assim, o tratamento com  fisioterapia, inciando-se o mais breve possível, é imprescindível para preservar a musculatura e acelerar a recuperação, principalmente com o uso da hidroterapia/hidroesteira, que auxilia no processo preservação de massa com melhora do tônus muscular e a reabilitação motora desses pacientes.

Páginas Sugeridas