Fraturas e Traumas

Fraturas e Traumas

Na verdade, a reabilitação de um paciente ortopédico deve se iniciar antes mesmo da cirurgia. A crioterapia (bolsa de gelo) é responsável pela redução do fluxo sanguíneo, o que resulta na redução do edema, hemorragia e inflamação dos tecidos moles adjacentes. Também é responsável pela redução dos espasmos, do metabolismo celular e redução da condução nervosa e dos espasmos musculares, além de possuir efeito analgésico.

Imediatamente após a cirurgia ortopédica, inicia-se a aplicação de crioterapia, que pode ser útil na redução da reação inflamatória e da dor causada pelo procedimento cirúrgico. Para reduzir a formação de edema, pode-se utilizar massagem. A eletroestimulação transcutânea (TENS) pode trazer alguns efeitos analgésicos no pós-operatório. Os exercícios terapêuticos iniciam-se após alguns dias da cirurgia e têm como intuito estimular o fortalecimento muscular e reeducar o posicionamento do membro.

e o paciente não estiver utilizando o membro, seu uso deve ser encorajado pelos exercícios. Pode-se neste caso, utilizar a hidroterapia para melhorar a amplitude de movimentos, principalmente quando se deseja aumentar a flexão. Os exercícios de hidroterapia também reduzem a carga articular, o que é desejável em alguns casos, mas estimulam o fortalecimento muscular.

A eletroestimulação neuromuscular (FES), pode ser útil no fortalecimento muscular quando o paciente manifestar dor ou não estiver apto a utilização do membro.

Após a fase aguda do processo inflamatório (cerca de uma semana) passa-se a utilizar a termoterapia (bolsa de água-quente e ultrassom), a fim de aquecer os tecidos e conseqüentemente, aumentar a elasticidade e o relaxamento muscular.

Páginas Sugeridas