Patas de Cães – Como Cuidar e Prevenir Lesões

Patas de Cães – Como Cuidar e Prevenir Lesões

Patas de cães: doenças, cuidados e higiene. Como as patas de cães são importantes para saúde física e mental do pet e a importância da fisioterapia na reabilitação

Você pode tirar dúvidas com um de nossos especialistas também. Encontre a unidade Fisio Care mais próxima de você e agende uma consulta agora mesmo

Não haveria tantas brincadeiras, atividades e dinamismo dos nossos amigos sem o alicerce que dá suporte a estrutura muscular deles. Sim, as patas de cães são, em sua essência, a pedra fundamental que sustenta a alegria e mobilidade dos pets diariamente.

Apesar de toda importância, nem sempre damos a devida atenção às patas de cães, não é verdade? Neste artigo a Fisio Care Pet irá fazer um raio-x completo dos assuntos que permeiam essa tão importante parte do corpo dos pets e como mantê-las prevenidas contra doenças, cuidados em situações específicas e sua higiene.

Tosa higiênica e cuidados com as patas de cães

A tosa higiênica e corte das unhas dos pets talvez seja um dos cuidados que nem sempre depositamos o devido valor. Embora ignoremos a necessidade desses processos, é de extrema importância realizá-los já que o crescimento de pelos e unhas podem ser fatores altamente incômodos e até ocasionarem acidentes.

O crescimento excessivo de pelos na região das patas caninas, por exemplo, pode significar a situação perfeita para quedas e machucados. Conforme os fios se tornam compridos e começam a se enrolar, acabam por atrapalhar a aderência do cão em sua movimentação.

Andando sobre os pelos, os cães podem passar a escorregar com certa frequência. Imaginar isso em situações de brincadeiras como a caça de bolinhas com pulos e corridas, pode ter por consequência o início de lesões, traumas, fraturas, rupturas e até problemas mais sérios envolvendo sua coluna.

As unhas também devem ter um cuidado especial, principalmente os pets que passeiam pouco e que costumam caminhar apenas em superfícies lisas (chão de casas ou apartamentos). Essa situação impede que as unhas sejam “gastas”, passando a crescer de forma excessiva e machucar o pet.

As unhas muito longas podem propiciar complicações nos demais membros do pet, fazendo com que a angulação do corpo fique prejudicada e a progressividade da dor passe para outros setores do corpo desencadeando outras complicações.

É importante ressaltar que muitos cães possuem as unhas com uma coloração mais escura, dificultando a visualização de onde estão os vasos que passam por baixo dessa região. Por isso, sempre conte com profissionais capacitados para realizar esse processo. Caso queira desenvolver uma técnica, peça ajuda para profissionais que conheçam os métodos mais seguros para realizar essa atividade.

Patas de cães e o verão

Outro ponto muitas vezes negligenciado pelos tutores é em relação às patas de cachorro no verão. Embora os coxins (“almofadas” localizadas na parte da sola das patas) pareçam resistentes, são, na verdade, consideravelmente frágeis e sensíveis quando expostas ao calor de maneira descuidada.

O ideal é que os passeios em épocas mais quentes sejam feitos durante horários em que o clima está mais ameno ou em locais que possuam sombras. Expor seu pet em contato com o solo muito quente irá produzir queimaduras sérias e até formar bolhas nas patas.

Caso não haja solução e o horário de passeio seja durante momentos mais quentes, é recomendado o uso de proteção nas patinhas. Os sapatos caninos são boas opções, apesar de ainda sofrerem resistência por alguns tutores, pelo menos em situações extremas. Vale ressaltar que, caso seu pet não se adapte ao acessório, não obrigue que ele use o material.

Doenças que podem atingir as patas de cães

Existe uma série de doenças que podem afetar as patas dos cachorros e um dos sinais mais constantes de que há algo errado na região é quando eles lambem constantemente a área.

A motivação para estes sintomas podem ser diversos, desde problemas hormonais até alergias. Por isso, listamos alguns mais comuns:

1 – Pele Seca: ambientes em que o tempo é muito frio podem ocasionar o ressecamento da pele dos cães, desenvolvendo sensações incômodas na região das patas fazendo com que o pet lamba a área sem parar. Existem ainda casos mais graves como a Cinomose que leva a descamação dos coxins e do nariz dos cães.

2 – Parasitas: ácaros, carrapatos, pulgas e outros parasitas também estão entre as causas mais comuns de mordidas e coceiras na região das patas. Nesses casos, a visita adequada ao médico veterinária para a indicação de medicamentos específicos se faz necessária.

3 – Alergias: mofo, pólen, bolor, alimentação ruim e até fatores ambientais podem ocasionar alergias nos cães, facilitando o aparecimento de dermatites na pele. Isso ocorre bastante também em ambientes domésticos, onde os cães mantêm contato permanente com diferentes produtos de limpeza que podem também influenciar no aparecimento dessas complicações.

4 – Problemas Psicológicos: estresse, tédio e ansiedade são pontos que devem ser observados com carinho. Muitas vezes a reação para problemas como esses, para o cão, é o de morder e lamber a região das patas podendo até chegar ao ponto de produzir feridas e machucados sérios na região.

5 – Problemas Hormonais: o desequilíbrio nos hormônios da tireoide também pode facilitar o aparecimento de infecções na pele e situações de desconforto nas patas. Check-ups constantes são sempre indicados para evitar o aparecimento desse tipo de problema.

6 – Dor: pedaços de espinhos e farpas presas à pata, unhas compridas e até problemas na coluna ou quadro de doenças ósseas (displasia coxofemoral e outras) podem resultar em dores nas patas dos cães.

Fisioterapia como mantenedora das funções normais dos cães!

A fisioterapia veterinária, sem dúvidas, é grande aliada na manutenção da qualidade de vida de cães com problemas nas patas. Diversas complicações ortopédicas (artroses, displasia coxofemoral, ruptura de ligamento cruzado, luxação de patela, lesões, traumas e outros), neurológicas (hérnia de disco, fraturas e luxações vertebrais e outros) e obesidade canina, advindas de lesões nas patas ou que resultam em problemas na região, são tratáveis através da fisioterapia.

Técnicas como hidroterapia (utilização de esteira aquática), acupuntura veterinária, quiropraxia, eletroterapia e outros, agem diretamente nos focos de dores, estabelecendo programas eficazes de recondicionamento físico, muscular e articular, ajudando na manutenção da saúde das patas e, por consequência, do corpo do pet como um todo.

Na Fisio Care Pet você conta com profissionais qualificados e equipamentos de ponta para a reabilitação plena e saudável do seu amigo. Precisa de uma ajuda, tirar dúvidas sobre as patas dos cães? Encontre a unidade Fisio Care mais próxima de você e marque uma consulta em poucos cliques.

Páginas Sugeridas