Síndrome de Wobbler

Síndrome de Wobbler

A espondilopatia cervical (Síndrome de Wobbler) uma patologia de etiologia multifatorial, que leva a um estreitamento do canal vertebral e consequentemente compressão da medula espinhal cervical caudal e das raízes nervosas
, devido a alterações anatômicas e posicionais ao nível das vértebras cervicais (C5, C6 e C7). Os animais afetados, mais frequentemente raças grandes (Doberman e Dogue Alemão), podem apresentar ataxia dos membros pélvicos, com ou sem dor cervical, que pode progredir para déficits neurológicos dos membros toráxicos e, em última instância, quadriplegia.

A evolução clínica da espondilopatia cervical é cronicamente progressiva caso não seja submetida a tratamento. A restrição rigorosa da atividade física é importante e, no caso de uso de coleira cervical, essa deve ser substituída por uma coleira peitoral.

Em cães com sinais mínimos de disfunção neurológica, o tratamento prolongado com a administração de corticosteróides isolados e restrição de atividade é satisfatório em 75% dos casos. Porém, em cães com sintomatologia mais acentuada, mesmo que haja uma melhoria inicial com a administração de corticosteróides, a compressão e instabilidade persistem e geralmente evoluem se não houver um tratamento mais definitivo. Nestes casos é recomendável a cirurgia e reabilitação pós-operatória por meio da fisioterapia.

 

 

Páginas Sugeridas