Indicações

A Fisioterapia Veterinária é indicada para o tratamento das mais diversas patologias (doenças), sejam estas Neurológicas, Ortopédicas ou mesmo para casos de Obesidade.

Abaixo está uma lista com os casos comumente atendidos em toda a Rede Fisio Care Pet. 

Os campos abaixo mostram o resumo de indicação, caso precise de conteúdo mais detalhado, siga os links.

Animais Paralisados

Ver um cachorro paralisado e tremendo, na maioria dos casos, pode estar relacionado a alguma doença neurológica que está afetando a comunicação entre a medula espinhal, cerebelo e cérebro. A verdade é que o sistema nervoso dos pets é composto por delicados tecidos responsáveis pela coordenação de músculos, movimentação de órgãos e geração de estímulos corporais diversos que podem sofrer diferentes lesões que causem sintomas diversos, como deixar um cachorro paralisado e tremendo, com dificuldade em controlar urina e fezes, entre outros.

Casos comuns de patologias e lesões que podem deixar um cachorro paralisado e tremendo

O grande número de afecções neurológicas que afetam os pets acabam por complicar a identificação assertiva e plena de todas as possíveis causas e sintomas que podem paralisar um cão. Porém, existem algumas doenças que resultam em paralisias que podemos listar. Vejamos: Leia mais em: https://fisiocarepet.com.br/cachorro-paralisado-tremendo/

Artrose

artrose é uma doença degenerativa das articulações que se caracteriza por causar dor crônica nos pets. Ela atinge, em grande parte dos casos, cães idosos, mas ganha cada vez mais pacientes através da obesidade canina.

artrose canina ocorre quando há um desgaste da cartilagem que cobre o interior das articulações e dos ossos, gerando perda de elasticidade que, por sua vez, causa dor e impede a mobilidade normal do animal.

Diagnóstico

diagnóstico da artrose se dá através do histórico de saúde do animal (de dor ao movimentar-se), exame das articulações e radiografias. Porém, o diagnóstico nem sempre é assertivo, uma vez que é complicado medir a dor do pet, principalmente porque os pets tendem a deslocar o peso de uma articulação doente para uma saudável, evitando a pressão sobre a primeira.

A artrose canina deve ser tratada imediatamente e o diagnóstico precoce é determinante para manter a qualidade de vida do animal.

Leia mais em: https://fisiocarepet.com.br/artrose/

Cadeira de Rodas

“Já existem soluções para tornar a vida de um cão deficiente mais ativa e saudável, mesmo com um problema físico que o impeça de caminhar. A mais comum delas é a cadeira de rodas para cachorro.

cadeira de rodas para cachorro são opções mais aceitas por tutores de animais que já possuem alguma limitação física desde filhotes. Porém, é importante considerarmos sua utilização quando necessária ao longo da vida do pet, e como é possível procurar por tratamentos auxiliares para recuperação de sua qualidade de vida.

Neste artigo vamos conhecer quais são os meios de tratamento para cães com problemas de locomoção, quais as patologias que mais afetam a mobilidade dos pets e como devemos escolher a cadeira de rodas canina.

Patologias e enfermidades que podem afetar a mobilidade dos pets…”

Leia mais em:  https://fisiocarepet.com.br/cadeira-rodas-para-cachorro/

Controle da Dor

Quando estamos com muita dor a tendência é que recorramos a qualquer remédio de efeito rápido. Não é verdade? Entretanto, a melhor maneira de encontrar o remédio ideal para cachorro com dor é contar com um veterinário especialista para indicar o medicamento, dosagem e intervalo de tempo certos. Isso faz toda a diferença na ação positiva do remédio no organismo do pet, assim como no afastamento dos efeitos colaterais.

Como encontrar uma solução eficaz para tratar meu cão com dor?

A maioria dos casos em que há sintomas de dor e inflamação nos pets, passam por patologias ou lesões ortopédicas, neurológicas ou de excesso de peso que pode caminhar para quadros piores que…

Leia mais em: https://fisiocarepet.com.br/remedio-para-cachorro-dor-pata/

Displasia Coxofemural

Displasia coxofemoral é uma doença caracterizada pela incongruência e degeneração da articulação da bacia (acetábulo) com a cabeça do fêmur. É uma doença hereditária, na maioria dos casos, mas também desenvolvida por fatores externos como obesidade, alterações posturais, convivência com pisos lisos e outros.

A displasia coxofemoral pode provocar dores na região do quadril, artrose, manqueira, atrofia muscular e, dependendo do seu grau de severidade, provocar sérias dificuldades de locomoção ao pet.

Incidência

Acomete principalmente cães de grande porte como Pastor Alemão, Golden Retriever, Buldogue Inglês e Labrador, sem descartar a incidência em raças de menor porte, apesar de mais raras. Embora mais ágeis, os gatos também podem sofrer com a doença, principalmente raças de grande porte como o Maine Coon.

Graus de severidade

A displasia em cães pode ser dividida em diferentes graus:…

Leia mais em:  https://fisiocarepet.com.br/displasia-coxofemoral/

Displasia de Cotovelo

A displasia de cotovelo é uma designação geral para o que na verdade é um conjunto de quatro patologias indutoras de uma má formação da articulação do cotovelo. As afecções denominadas de não-união do processo ancôneo, osteocondrite dissecante do côndilo umeral medial, fragmentação do processo coronoide medial da ulna e a incongruência do cotovelo são agrupadas com a denominação de displasia do cotovelo.

As afecções e propensão

Como dito acima, a displasia de cotovelo é caracterizada por quatro distintas afecções. São elas:

Leia mais em:  https://fisiocarepet.com.br/displasia-cotovelo

Embolia Fibrocartilaginosa

A embolia fibrocartilaginosa é uma doença rara que afeta a região da medula espinhal que não recebe suprimento sanguíneo adequado pela presença de um trombo dos vasos sanguíneos.

Incidência

A embolia fibrocartilaginosa acomete, normalmente, cães jovens entre 3 e 6 anos de idades, de raças médias a grandes. O Schnauzer Miniatura e os Pastores de Shetland são as raças que mais apresentam casos da doença.

O motivo dessa predisposição não é conhecida, mas existem pistas de que pode estar relacionada ao distúrbio do metabolismo de triglicérides.

Sintomas

Os sinais clínicos dependem do local em que o êmbolo se encontra na medula, geralmente aparecem…

Leia mais em:  https://fisiocarepet.com.br/embolia-fibrocartilaginosa/

Endocrinopatias

“Já existem soluções para tornar a vida de um cão deficiente mais ativa e saudável, mesmo com um problema físico que o impeça de caminhar. A mais comum delas é a cadeira de rodas para cachorro. A cadeira de rodas para cachorro são opções mais aceitas por tutores de animais que já possuem alguma limitação física desde filhotes. Porém, é importante considerarmos sua utilização quando necessária ao longo da vida do pet, e como é possível procurar por tratamentos auxiliares para recuperação de sua qualidade de vida. Neste artigo vamos conhecer quais são os meios de tratamento para cães com problemas de locomoção, quais as patologias que mais afetam a mobilidade dos pets e como devemos escolher a cadeira de rodas canina.

Patologias e enfermidades que podem afetar a mobilidade dos pets…”

Leia mais em: https://fisiocarepet.com.br/cadeira-rodas-para-cachorro/

Fitness e Cães Atletas

O condicionamento inicia precocemente na vida de um cão atleta, porém exercícios intensos são contraindicados quando filhotes, porque as epífises ósseas ainda estão abertas. Cada tipo de cão tem um período diferente de fechamento das epífises. Antes do fechamento das epífises, o condicionamento se restringe a brincadeiras e atividades voluntárias (corridas e caminhadas).

É importante que o animal seja testado ou que tenha sua família analisada, para evitar que doenças exacerbem, como a displasia coxofemoral. O condicionamento propriamente dito se inicia na puberdade, quando os hormônios andrógenos surgem, pois são importantes para o desenvolvimento muscular.

ALIMENTAÇÃO

Outro ponto chave no condicionamento de cães atletas é a nutrição…

Leia mais em: https://fisiocarepet.com.br/fitness-caes-atletas/

Fraturas e Traumas

Pós-cirurgia

A crioterapia (bolsa de gelo) é responsável pela redução do fluxo sanguíneo, o que ajuda na redução do edema, hemorragia e inflamação dos tecidos moles adjacentes. Também é importante ressaltar que essa ação também ajuda na redução dos espasmos musculares, do metabolismo celular e da condução nervosa, servindo como um agente analgésico.

Pets com fraturas e traumas devem…

Leia mais em: https://fisiocarepet.com.br/fraturas-traumas/

Hérnia de Disco

A hérnia de disco é uma doença caracterizada pela degeneração dos discos intervertebrais, sejam eles C2-C3 à L7-S1, sendo que quase 85% dos casos se localizam na região tóraco-lombar. Ela pode ser dividida em Hansen Tipo I (quando há extrusão do núcleo pulposo com ruptura do anel fibroso), Hansen Tipo II (quando ocorre protusão do disco) e Tipo III (quando há trauma concussivo na medula).

É importante ressaltar que a hérnia de disco, quando necessária a intervenção cirúrgica, caracteriza apenas a parte inicial da recuperação do pet, que irá necessitar de tratamento posterior para diminuição de dores, ganho de massa muscular e retomada de qualidade de vida.

Sintomas

A hérnia de disco em cães e gatos…

Leia mais em: https://fisiocarepet.com.br/hernia-de-disco/

Subluxação Atlantoaxial

Diante desses fatos, é fundamental conhecer a fundo as principais lesões que afetam a coluna vertebral e medula espinhal, suas causas, diagnóstico e sinais clínicos. Nesse artigo, falaremos da subluxação atlantoaxial em cães.

O que é a subluxação atlantoaxial em cães?

A subluxação atlantoaxial (SLAA) é referida como uma instabilidade de articulação entre a primeira e segunda vértebras cervicais e conduz ao deslocamento dorsal do áxis em relação ao atlas, podendo ocasionar lesões traumáticas da medula espinhal, tais como a concussão e compressão, resultando em edema e inflamação da medula espinhal que pode se estender cranialmente para o tronco encefálico. Pode ser uma condição secundária a anormalidades congênitas e de desenvolvimento do atlas e áxis (ósseo ou ligamentar) ou ter origem em alguma injúria traumática da articulação, ou uma combinação de ambos. As alterações mais frequentes são agenesia (atrofia de um órgão ou tecido) ou hipoplasia (desenvolvimento defeituoso ou incompleto de tecido ou órgão) do processo odontóide, angulação dorsal, fratura e avulsão ou não união do odontóide com o áxis. Ainda não é claro se a ausência do processo odontóide é realmente devido à ausência congênita de um centro de ossificação ou… Leia mais em: https://fisiocarepet.com.br/subluxacao-atlantoaxial-caes/

Luxação de Patela

A luxação de patela em cães pode ser considerada quando há o desencaixe das articulações da região do joelho do pet, causando muita dor e grande perda de mobilidade. Denominada também como rótula, a patela se caracteriza pelo osso do joelho do cão que tem seu alinhamento com o músculo do quadríceps como principal função. A ortopedia veterinária lida diariamente com a luxação de patela em cães. Aliás, o problema pode ser considerado bastante comum na vida dos pets ativos e pode, sim, prejudicar sua saúde e mobilidade, como veremos a seguir.

Sintomas mais claros de que meu pet está com luxação de patela

Embora nem sempre seja possível notar sinais claros de que a luxação patelar tenha atingido o pet, há uma série de sintomas comuns que acometem a maioria dos casos de luxação de patela. Como:… Leia mais em: https://fisiocarepet.com.br/luxacao-patela-caes/

Mielopatia Degerativa

A mielopatia degenerativa caracteriza-se por uma doença progressiva crônica responsável por causar uma desordem na medula espinhal. Acredita-se que a doença tem origem genética,. Existem ainda vertentes que apostam que a doença é autoimune, mas ainda não há uma concordância única sobre sua origem.

Incidência

A mielopatia degenerativa acomete, principalmente, cães da raça Pastor Alemão e outras de porte grande, variando entre os 5 e 14 anos de idade do animal. É raro o acontecimento em cães de porte pequeno e em felinos, apesar de não ser impossível.

Sintomas

Os primeiros sintomas podem ser notados através da dificuldade progressiva… Leia mais em: https://fisiocarepet.com.br/mielopatia-degenerativa/

Necrose Asséptica da Cabeça do Femur

A NACF, ou necrose asséptica da cabeça do fêmur pode ser classificada como uma necrose asséptica não inflamatória da cabeça e colo femorais, atingindo com grande incidência cães de pequeno porte, jovens, antes do fechamento da linha de crescimento do osso, até 1 ano de idade. As raças mais propensas ao problema são: Yorkshire Terrier e Poodle Toy.

Sinais

Os cães acometidos pela necrose asséptica da cabeça do fêmur exibem uma hipotrofia muscular), principalmente dos músculos glúteos e quadríceps (músculos da coxa), dor ao movimento passivo da articulação do quadril e, em alguns casos, crepitação da articulação.

Há também sinais…

Leia mais em: https://fisiocarepet.com.br/necrose-asseptica-cabeca-femur/

Obesidade

A obesidade canina é um problema complexo e deve ser olhado com cuidado e seriedade. O excesso de peso pode promover o aparecimento de diferentes doenças decorrentes desse acúmulo de gordura corporal, diminuindo consideravelmente a expectativa de vida do seu amigo.

Podemos caracterizar a obesidade canina quando um pet apresenta…

Leia mais em: https://fisiocarepet.com.br/obesidade-condicionamento-fisico

Paralisias Flácidas

As paralisias flácidas podem ser caracterizadas como uma manifestação clínica que resulta em fraqueza ou paralisia e redução do tônus muscular dos pets. Pode ser causada por uma doença ou traumas que afetem os nervos associados aos músculos acometidos. As paralisias flácidas em cães podem se manifestar através de lesões em nervos periféricos ou nas junções neuromusculares. Essa condição pode ser fatal quando os músculos da respiração são afetados, por isso a importância de compreender os principais casos e como se dá o tratamento mais adequado.

Lesões em nervos periféricos

A polirradiculoneurite idiopática é a mais comum das lesões ligadas em nervos periféricos, apresentando, na maioria dos casos, um bom prognóstico de recuperação. Diversos casos apresentam melhora significativa após 2 semanas de tratamento através das técnicas de fisioterapia veterinária.

Lesões nas junções neuromusculares

Os casos mais comuns de lesões nas junções neuromusculares são… Leia mais em: https://fisiocarepet.com.br/paralisias-flacidas/

Ruptura do Ligamento Cruzado

A ruptura de ligamento cruzado em animais ocasiona o deslizamento do fêmur sobre a tíbia, podendo ocasionar novas complicações como lesões de meniscos. Na maioria das vezes é crônica, apesar da possibilidade de ser provocada após arrancadas bruscas. A degeneração que ocasiona a ruptura de ligamento cruzado em cães e gatos é progressiva e pode chegar ao ponto que, ao esforço de um pulo ou arrancada, se rompa causando dor e claudicação. A degeneração pode ocorrer nos dois joelhos, sendo que cerca de 50% dos animais acabam rompendo o outro lado depois de 1 ano da primeira ruptura. Por ser uma complicação de prevenção difícil, é importante conhecer seus sintomas, incidência, diagnóstico e tratamento.

Incidência

A ruptura de ligamento cruzado em cães é muito… Leia mais em: https://fisiocarepet.com.br/ruptura-ligamento-cruzado

Síndrome da Cauda Equina

A Cauda Equina acomete a região lombo sacral (L7-S1) dos cães, causada por uma estenose congênita (quando há o estreitamento do canal espinhal, radicular ou do forame intervertebral) ou adquirida do canal vertebral lombo sacro.

Trata-se de uma doença séria que necessita de cuidados especiais. Para compreendermos melhor, separamos informações importantes sobre ela, desde sintomas, formas de diagnóstico, raças mais afetadas, causas e tratamentos mais efetivos.

Quais são as raças mais afetadas pela síndrome de Cauda Equina?…

Leia mais em: https://fisiocarepet.com.br/cauda-equina-conheca-tudo/

Síndrome de Woobler

A síndrome de Wobbler (ou espondilomielopatia cervical) é uma patologia que se caracteriza por um estreitamento do canal vertebral e, consequentemente, leva a compressão da medula espinhal cervical caudal e das raízes nervosas devido a alterações anatômicas e posicionais ao nível das vértebras cervicais (C5, C6 e C7), podem levar a herniações discais associadas.

Ao causar instabilidade nas vértebras da região do pescoço, a síndrome de Wobbler acaba por trazer muita dor ao pet, seja para sentar, levantar, pular de locais, incoordenação motora e, em casos extremos, pode impedir que o animal se movimente pela intensidade da dor.

Incidência

As raças mais afetadas pela doença são as de…

Leia mais em: https://fisiocarepet.com.br/sindrome-de-wobbler/

Síndrome do Cão Nadador

A doença provoca dificuldade de locomoção ou até mesmo perda de movimentos dos membros dos cães, fazendo com que eles arrastem os membros. É chamada de Síndrome do Cão Nadador, pois quando o cão tenta caminhar, faz um movimento que se assemelha muito aos movimentos de natação.

É uma patologia que costuma se manifestar antes do primeiro mês de vida do pet, mais precisamente quando os filhotes começam a dar seus primeiros passos. É nesta fase que o tutor começa a notar que algo não está certo na locomoção do animal.

Quais as causas do aparecimento da Síndrome do Cão Nadador?

As causas da Síndrome do Cão Nadador ainda não foram totalmente elucidadas. Entretanto,…

Leia mais em: https://fisiocarepet.com.br/sindrome-cao-nadador-tudo-sobre-doenca/

Tendinopatias

Os avanços nas técnicas e ferramentas de diagnóstico por imagem e análise de locomoção trouxeram maior precisão das causas das tendinopatias  em animais, trazendo maior compreensão da anatomia e função biomecânica do ombro e, por consequência, maior capacidade de aplicação de tratamentos em clínicas veterinárias.

Nesse artigo, a Rede Fisio Care Pet traz algumas informações fundamentais sobre as principais afecções de ombros em animais, suas causas, formas de diagnóstico e melhores programas de tratamento. Vejamos:…

Leia mais em: 
https://fisiocarepet.com.br/tendinopatias-animais/

Animais Paralisados

Ver um cachorro paralisado e tremendo, na maioria dos casos, pode estar relacionado a alguma doença neurológica que está afetando a comunicação entre a medula espinhal, cerebelo e cérebro. A verdade é que o sistema nervoso dos pets é composto por delicados tecidos responsáveis pela coordenação de músculos, movimentação de órgãos e geração de estímulos corporais diversos que podem sofrer diferentes lesões que causem sintomas diversos, como deixar um cachorro paralisado e tremendo, com dificuldade em controlar urina e fezes, entre outros.

Casos comuns de patologias e lesões que podem deixar um cachorro paralisado e tremendo

O grande número de afecções neurológicas que afetam os pets acabam por complicar a identificação assertiva e plena de todas as possíveis causas e sintomas que podem paralisar um cão. Porém, existem algumas doenças que resultam em paralisias que podemos listar. Vejamos:… Leia mais em: https://fisiocarepet.com.br/cachorro-paralisado-tremendo/

Artrose

artrose é uma doença degenerativa das articulações que se caracteriza por causar dor crônica nos pets. Ela atinge, em grande parte dos casos, cães idosos, mas ganha cada vez mais pacientes através da obesidade canina.

artrose canina ocorre quando há um desgaste da cartilagem que cobre o interior das articulações e dos ossos, gerando perda de elasticidade que, por sua vez, causa dor e impede a mobilidade normal do animal.

Diagnóstico

diagnóstico da artrose se dá através do histórico de saúde do animal (de dor ao movimentar-se), exame das articulações e radiografias. Porém, o diagnóstico nem sempre é assertivo, uma vez que é complicado medir a dor do pet, principalmente porque os pets tendem a deslocar o peso de uma articulação doente para uma saudável, evitando a pressão sobre a primeira.

A artrose canina deve ser tratada imediatamente e o diagnóstico precoce é determinante para manter a qualidade de vida do animal.

Leia mais em: https://fisiocarepet.com.br/artrose/

Cadeira de Rodas

“Já existem soluções para tornar a vida de um cão deficiente mais ativa e saudável, mesmo com um problema físico que o impeça de caminhar. A mais comum delas é a cadeira de rodas para cachorro.

cadeira de rodas para cachorro são opções mais aceitas por tutores de animais que já possuem alguma limitação física desde filhotes. Porém, é importante considerarmos sua utilização quando necessária ao longo da vida do pet, e como é possível procurar por tratamentos auxiliares para recuperação de sua qualidade de vida.

Neste artigo vamos conhecer quais são os meios de tratamento para cães com problemas de locomoção, quais as patologias que mais afetam a mobilidade dos pets e como devemos escolher a cadeira de rodas canina.

Patologias e enfermidades que podem afetar a mobilidade dos pets…”

Leia mais em: https://fisiocarepet.com.br/cadeira-rodas-para-cachorro/

Controle da Dor

Quando estamos com muita dor a tendência é que recorramos a qualquer remédio de efeito rápido. Não é verdade? Entretanto, a melhor maneira de encontrar o remédio ideal para cachorro com dor é contar com um veterinário especialista para indicar o medicamento, dosagem e intervalo de tempo certos. Isso faz toda a diferença na ação positiva do remédio no organismo do pet, assim como no afastamento dos efeitos colaterais.

Como encontrar uma solução eficaz para tratar meu cão com dor?

A maioria dos casos em que há sintomas de dor e inflamação nos pets, passam por patologias ou lesões ortopédicas, neurológicas ou de excesso de peso que pode caminhar para quadros piores que

Leia mais em: https://fisiocarepet.com.br/remedio-para-cachorro-dor-pata/

Displasia Coxofemural

isplasia coxofemoral é uma doença caracterizada pela incongruência e degeneração da articulação da bacia (acetábulo) com a cabeça do fêmur. É uma doença hereditária, na maioria dos casos, mas também desenvolvida por fatores externos como obesidade, alterações posturais, convivência com pisos lisos e outros.

A displasia coxofemoral pode provocar dores na região do quadril, artrose, manqueira, atrofia muscular e, dependendo do seu grau de severidade, provocar sérias dificuldades de locomoção ao pet.

Incidência

Acomete principalmente cães de grande porte como Pastor Alemão, Golden Retriever, Buldogue Inglês e Labrador, sem descartar a incidência em raças de menor porte, apesar de mais raras. Embora mais ágeis, os gatos também podem sofrer com a doença, principalmente raças de grande porte como o Maine Coon.

Graus de severidade

A displasia em cães pode ser dividida em diferentes graus:

Leia mais em: https://fisiocarepet.com.br/displasia-coxofemoral/

Displasia de Cotovelo

A displasia de cotovelo é uma designação geral para o que na verdade é um conjunto de quatro patologias indutoras de uma má formação da articulação do cotovelo. As afecções denominadas de não-união do processo ancôneo, osteocondrite dissecante do côndilo umeral medial, fragmentação do processo coronoide medial da ulna e a incongruência do cotovelo são agrupadas com a denominação de displasia do cotovelo.

As afecções e propensão

Como dito acima, a displasia de cotovelo é caracterizada por quatro distintas afecções. São elas:

Leia mais em: https://fisiocarepet.com.br/displasia-cotovelo

Embolia Fibrocartilaginosa

A embolia fibrocartilaginosa é uma doença rara que afeta a região da medula espinhal que não recebe suprimento sanguíneo adequado pela presença de um trombo dos vasos sanguíneos.

Incidência

A embolia fibrocartilaginosa acomete, normalmente, cães jovens entre 3 e 6 anos de idades, de raças médias a grandes. O Schnauzer Miniatura e os Pastores de Shetland são as raças que mais apresentam casos da doença.

O motivo dessa predisposição não é conhecida, mas existem pistas de que pode estar relacionada ao distúrbio do metabolismo de triglicérides.

Sintomas

Os sinais clínicos dependem do local em que o êmbolo se encontra na medula, geralmente aparecem…

Leia mais em: https://fisiocarepet.com.br/embolia-fibrocartilaginosa/

Endocrinopatias

“Já existem soluções para tornar a vida de um cão deficiente mais ativa e saudável, mesmo com um problema físico que o impeça de caminhar. A mais comum delas é a cadeira de rodas para cachorro. A cadeira de rodas para cachorro são opções mais aceitas por tutores de animais que já possuem alguma limitação física desde filhotes. Porém, é importante considerarmos sua utilização quando necessária ao longo da vida do pet, e como é possível procurar por tratamentos auxiliares para recuperação de sua qualidade de vida. Neste artigo vamos conhecer quais são os meios de tratamento para cães com problemas de locomoção, quais as patologias que mais afetam a mobilidade dos pets e como devemos escolher a cadeira de rodas canina.

Patologias e enfermidades que podem afetar a mobilidade dos pets…”

Leia mais em: https://fisiocarepet.com.br/cadeira-rodas-para-cachorro/

Fitness e Cães Atletas

O condicionamento inicia precocemente na vida de um cão atleta, porém exercícios intensos são contraindicados quando filhotes, porque as epífises ósseas ainda estão abertas. Cada tipo de cão tem um período diferente de fechamento das epífises. Antes do fechamento das epífises, o condicionamento se restringe a brincadeiras e atividades voluntárias (corridas e caminhadas).

É importante que o animal seja testado ou que tenha sua família analisada, para evitar que doenças exacerbem, como a displasia coxofemoral. O condicionamento propriamente dito se inicia na puberdade, quando os hormônios andrógenos surgem, pois são importantes para o desenvolvimento muscular.

ALIMENTAÇÃO

Outro ponto chave no condicionamento de cães atletas é a nutrição…

Leia mais em: https://fisiocarepet.com.br/fitness-caes-atletas/

Fraturas e Traumas

Pós-cirurgia

A crioterapia (bolsa de gelo) é responsável pela redução do fluxo sanguíneo, o que ajuda na redução do edema, hemorragia e inflamação dos tecidos moles adjacentes. Também é importante ressaltar que essa ação também ajuda na redução dos espasmos musculares, do metabolismo celular e da condução nervosa, servindo como um agente analgésico.

Pets com fraturas e traumas devem..

Leia mais em: https://fisiocarepet.com.br/fraturas-traumas/

Hérnia de Disco

A hérnia de disco é uma doença caracterizada pela degeneração dos discos intervertebrais, sejam eles C2-C3 à L7-S1, sendo que quase 85% dos casos se localizam na região tóraco-lombar. Ela pode ser dividida em Hansen Tipo I (quando há extrusão do núcleo pulposo com ruptura do anel fibroso), Hansen Tipo II (quando ocorre protusão do disco) e Tipo III (quando há trauma concussivo na medula).

É importante ressaltar que a hérnia de disco, quando necessária a intervenção cirúrgica, caracteriza apenas a parte inicial da recuperação do pet, que irá necessitar de tratamento posterior para diminuição de dores, ganho de massa muscular e retomada de qualidade de vida.

Sintomas

A hérnia de disco em cães e gatos…

Leia mais em: https://fisiocarepet.com.br/hernia-de-disco/

Subluxação Atlantoaxial

Diante desses fatos, é fundamental conhecer a fundo as principais lesões que afetam a coluna vertebral e medula espinhal, suas causas, diagnóstico e sinais clínicos. Nesse artigo, falaremos da subluxação atlantoaxial em cães.

O que é a subluxação atlantoaxial em cães?

A subluxação atlantoaxial (SLAA) é referida como uma instabilidade de articulação entre a primeira e segunda vértebras cervicais e conduz ao deslocamento dorsal do áxis em relação ao atlas, podendo ocasionar lesões traumáticas da medula espinhal, tais como a concussão e compressão, resultando em edema e inflamação da medula espinhal que pode se estender cranialmente para o tronco encefálico. Pode ser uma condição secundária a anormalidades congênitas e de desenvolvimento do atlas e áxis (ósseo ou ligamentar) ou ter origem em alguma injúria traumática da articulação, ou uma combinação de ambos. As alterações mais frequentes são agenesia (atrofia de um órgão ou tecido) ou hipoplasia (desenvolvimento defeituoso ou incompleto de tecido ou órgão) do processo odontóide, angulação dorsal, fratura e avulsão ou não união do odontóide com o áxis. Ainda não é claro se a ausência do processo odontóide é realmente devido à ausência congênita de um centro de ossificação ou… Leia mais em: https://fisiocarepet.com.br/subluxacao-atlantoaxial-caes/

Luxação de Patela

A luxação de patela em cães pode ser considerada quando há o desencaixe das articulações da região do joelho do pet, causando muita dor e grande perda de mobilidade. Denominada também como rótula, a patela se caracteriza pelo osso do joelho do cão que tem seu alinhamento com o músculo do quadríceps como principal função. A ortopedia veterinária lida diariamente com a luxação de patela em cães. Aliás, o problema pode ser considerado bastante comum na vida dos pets ativos e pode, sim, prejudicar sua saúde e mobilidade, como veremos a seguir.

Sintomas mais claros de que meu pet está com luxação de patela

Embora nem sempre seja possível notar sinais claros de que a luxação patelar tenha atingido o pet, há uma série de sintomas comuns que acometem a maioria dos casos de luxação de patela. Como: Leia mais em: https://fisiocarepet.com.br/luxacao-patela-caes/

Mielopatia Degerativa

A mielopatia degenerativa caracteriza-se por uma doença progressiva crônica responsável por causar uma desordem na medula espinhal. Acredita-se que a doença tem origem genética,. Existem ainda vertentes que apostam que a doença é autoimune, mas ainda não há uma concordância única sobre sua origem.

Incidência

A mielopatia degenerativa acomete, principalmente, cães da raça Pastor Alemão e outras de porte grande, variando entre os 5 e 14 anos de idade do animal. É raro o acontecimento em cães de porte pequeno e em felinos, apesar de não ser impossível.

Sintomas

Os primeiros sintomas podem ser notados através da dificuldade progressiva.. Leia mais em: https://fisiocarepet.com.br/mielopatia-degenerativa/

Necrose Asséptica da Cabeça do Femur

A NACF, ou necrose asséptica da cabeça do fêmur pode ser classificada como uma necrose asséptica não inflamatória da cabeça e colo femorais, atingindo com grande incidência cães de pequeno porte, jovens, antes do fechamento da linha de crescimento do osso, até 1 ano de idade. As raças mais propensas ao problema são: Yorkshire Terrier e Poodle Toy.

Sinais

Os cães acometidos pela necrose asséptica da cabeça do fêmur exibem uma hipotrofia muscular), principalmente dos músculos glúteos e quadríceps (músculos da coxa), dor ao movimento passivo da articulação do quadril e, em alguns casos, crepitação da articulação.

Há também sinais…

Leia mais em: https://fisiocarepet.com.br/necrose-asseptica-cabeca-femur/

Obesidade

A obesidade canina é um problema complexo e deve ser olhado com cuidado e seriedade. O excesso de peso pode promover o aparecimento de diferentes doenças decorrentes desse acúmulo de gordura corporal, diminuindo consideravelmente a expectativa de vida do seu amigo.

Podemos caracterizar a obesidade canina quando um pet apresenta…

Leia mais em: https://fisiocarepet.com.br/obesidade-condicionamento-fisico

Paralisias Flácidas

As paralisias flácidas podem ser caracterizadas como uma manifestação clínica que resulta em fraqueza ou paralisia e redução do tônus muscular dos pets. Pode ser causada por uma doença ou traumas que afetem os nervos associados aos músculos acometidos. As paralisias flácidas em cães podem se manifestar através de lesões em nervos periféricos ou nas junções neuromusculares. Essa condição pode ser fatal quando os músculos da respiração são afetados, por isso a importância de compreender os principais casos e como se dá o tratamento mais adequado.

Lesões em nervos periféricos

A polirradiculoneurite idiopática é a mais comum das lesões ligadas em nervos periféricos, apresentando, na maioria dos casos, um bom prognóstico de recuperação. Diversos casos apresentam melhora significativa após 2 semanas de tratamento através das técnicas de fisioterapia veterinária.

Lesões nas junções neuromusculares

Os casos mais comuns de lesões nas junções neuromusculares são… Leia mais em: https://fisiocarepet.com.br/paralisias-flacidas/

Ruptura do Ligamento Cruzado

A ruptura de ligamento cruzado em animais ocasiona o deslizamento do fêmur sobre a tíbia, podendo ocasionar novas complicações como lesões de meniscos. Na maioria das vezes é crônica, apesar da possibilidade de ser provocada após arrancadas bruscas. A degeneração que ocasiona a ruptura de ligamento cruzado em cães e gatos é progressiva e pode chegar ao ponto que, ao esforço de um pulo ou arrancada, se rompa causando dor e claudicação. A degeneração pode ocorrer nos dois joelhos, sendo que cerca de 50% dos animais acabam rompendo o outro lado depois de 1 ano da primeira ruptura. Por ser uma complicação de prevenção difícil, é importante conhecer seus sintomas, incidência, diagnóstico e tratamento.

Incidência

A ruptura de ligamento cruzado em cães é muito… Leia mais em: https://fisiocarepet.com.br/ruptura-ligamento-cruzado

Síndrome da Cauda Equina

A Cauda Equina acomete a região lombo sacral (L7-S1) dos cães, causada por uma estenose congênita (quando há o estreitamento do canal espinhal, radicular ou do forame intervertebral) ou adquirida do canal vertebral lombo sacro.

Trata-se de uma doença séria que necessita de cuidados especiais. Para compreendermos melhor, separamos informações importantes sobre ela, desde sintomas, formas de diagnóstico, raças mais afetadas, causas e tratamentos mais efetivos.

Quais são as raças mais afetadas pela síndrome de Cauda Equina?…

Leia mais em: https://fisiocarepet.com.br/cauda-equina-conheca-tudo/

Síndrome de Woobler

A síndrome de Wobbler (ou espondilomielopatia cervical) é uma patologia que se caracteriza por um estreitamento do canal vertebral e, consequentemente, leva a compressão da medula espinhal cervical caudal e das raízes nervosas devido a alterações anatômicas e posicionais ao nível das vértebras cervicais (C5, C6 e C7), podem levar a herniações discais associadas.

Ao causar instabilidade nas vértebras da região do pescoço, a síndrome de Wobbler acaba por trazer muita dor ao pet, seja para sentar, levantar, pular de locais, incoordenação motora e, em casos extremos, pode impedir que o animal se movimente pela intensidade da dor.

Incidência

As raças mais afetadas pela doença são as de…

Leia mais em: https://fisiocarepet.com.br/sindrome-de-wobbler/

Síndrome do Cão Nadador

A doença provoca dificuldade de locomoção ou até mesmo perda de movimentos dos membros dos cães, fazendo com que eles arrastem os membros. É chamada de Síndrome do Cão Nadador, pois quando o cão tenta caminhar, faz um movimento que se assemelha muito aos movimentos de natação.

É uma patologia que costuma se manifestar antes do primeiro mês de vida do pet, mais precisamente quando os filhotes começam a dar seus primeiros passos. É nesta fase que o tutor começa a notar que algo não está certo na locomoção do animal.

Quais as causas do aparecimento da Síndrome do Cão Nadador?

As causas da Síndrome do Cão Nadador ainda não foram totalmente elucidadas. Entretanto,…

Leia mais em: https://fisiocarepet.com.br/sindrome-cao-nadador-tudo-sobre-doenca/

Tendinopatias

Os avanços nas técnicas e ferramentas de diagnóstico por imagem e análise de locomoção trouxeram maior precisão das causas das tendinopatias  em animais, trazendo maior compreensão da anatomia e função biomecânica do ombro e, por consequência, maior capacidade de aplicação de tratamentos em clínicas veterinárias.

Nesse artigo, a Rede Fisio Care Pet traz algumas informações fundamentais sobre as principais afecções de ombros em animais, suas causas, formas de diagnóstico e melhores programas de tratamento. Vejamos:…


Leia mais em: 
https://fisiocarepet.com.br/tendinopatias-animais/