Como Fortalecer as Patas Traseiras do Cachorro?

Como Fortalecer as Patas Traseiras do Cachorro?

Como fortalecer as patas traseiras do cachorro? Entenda quais medidas podem ser tomadas e quais as causas mais comuns que afetam os pets

A incapacidade do pet manter-se sobre as patas traseiras ou até a claudicação posterior pode ter inúmeras origens. Nem sempre trata-se de uma debilidade própria da velhice e, em muitos casos, um tratamento precoce e adequado pode ser fundamental para combater o problema. Mas afinal, como fortalecer as patas traseiras do cachorro?

Antes de estipular quais os mecanismos que serão utilizados para o tratamento e fortalecimento das patas traseiras do cão, é preciso identificar quais as causas que estão afetando a mobilidade dele. Dentre as mais comuns estão:

1 – Dor: seja na zona afetada ou não, seja por algum trauma ou algo que está afetando as patas ou alguma lesão. Essas são condições mais corriqueiras e dependendo do quadro de dor, devem ser imediatamente encaminhadas a um especialista;

2 – Problemas ortopédicos: artrose, artrite, displasia coxofemoral, luxação de patela e outros. São patologias que possuem seus graus de severidade, podendo afetar mais ou menos a qualidade de vida do cão e necessitam de um diagnóstico assertivo para o melhor emprego de tratamento adequado;

3 – Problemas neurológicos: hérnia de disco, fraturas e luxações vertebrais, paralisias flácidas e outros. São condições que podem afetar a mobilidade dos pets e necessitam de encaminhamento profissional para um tratamento adequado;

4 – Problemas sistêmicos: patologias que podem afetar todo o corpo do animal, como doenças endócrinas (hormonais ou de glândulas).

Quais os sintomas mais visíveis de cães com problemas nas patas traseiras?

Os sintomas mais comuns de cães com problemas nas patas traseiras passam por: dificuldade em levantar-se, debilidade, claudicação, tendência para cruzar as patas traseiras ao andar, correr com ambas as patas paralelas (como um coelho), deslizar mais que o normal e má coordenação de movimentos.

O que levar em consideração antes de consultar um veterinário especialista?

É importante verificarmos algumas condições para chegarmos preparados para um diagnóstico assertivo. A idade é um dos fatores, pois em animais jovens pode-se suspeitar de uma má formação ou de alguma patologia congênita enquanto que animais idosos podem sofrer mais com uma hérnia discal, tumor ou artrose.

A genética de cada raça também é um fator importante, já que existe uma tendência de patologias como a displasia coxofemoral afetarem cães através do fator genético, principalmente raças de grande porte como Labrador, Pastor Alemão e outros, e até patologias como a mielopatia degenerativa.

Outro fator importante para informar seu veterinário é se houve uma alteração aguda (um aparecimento súbito e intenso) ou crônica (desenvolvimento lento e progressivo), pois pode ser de grande valia para direcionar as ferramentas de diagnóstico.

Como é feito o tratamento

O tratamento irá depender do que está afetando a mobilidade do pet e do grau de severidade do problema. Se a debilidade é ocasionada por uma hérnia de disco, por exemplo, primeiro irá se tentar estabilizar a progressão para depois estipular uma terapia adequada. Em muitos casos, sejam eles de hérnia de disco, luxação de patela, displasia ou outros, se indica um tratamento multifocal, ou seja, que trabalhe com medicamentos anti-inflamatórios, terapias conservativas e, quando necessário, intervenção cirúrgica.

Quando tratada a causa principal, temos uma gama de opções que podem ajudar no resgate da qualidade de vida do cão. O uso de camas ortopédicas, por exemplo, são boas indicações para casos em que há uma doença articular (artrose, hérnia, displasias e outros), pois permite que o pet reparta seu peso por toda superfície corporal e não só nas articulações. Os condroprotetores também são utilizados em patologias articulares, já que ajudam a retardar a progressão da osteoartrose.

A importância da fisioterapia na reabilitação

A fisioterapia veterinária vem alcançando resultados cada vez mais notórios na reabilitação de animais através de diferentes terapias conservativas, ganhando importância e destaque no combate de diferentes patologias e lesões ortopédicas, neurológicas e no trabalho de condicionamento físico animal.

Os diferentes métodos que passam por hidroterapia (com uso de esteira aquática), acupuntura, ozonioterapia, cinesioterapia, eletroterapia e outros, combatem de forma efetiva dores, incômodos, fraquezas, paralisias e outras condições.

Atualmente, além de indicada para casos onde se necessita apenas de terapias conservativas, a reabilitação também está sendo indicada para processos pré e pós-operatórios. Os métodos ajudam os pets em sua reabilitação após fortes traumas, proporcionando mais conforto, conservação de musculatura, diminuição de dores, evitando novas intervenções cirúrgicas, aumentando expectativa e qualidade de vida.

Além disso, os programas de emagrecimento animal também são importantes ferramentas de reabilitação, já que diversas enfermidades mostram quadros de recuperação a partir de uma modificação no estilo de vida, possibilitando a preservação das articulações e músculos, reabilitando sua saúde e fortalecendo sua estrutura muscular de forma gradual e saudável.

Conte sempre com profissionais capacitados

A Rede Fisio Care Pet investe forte na capacitação de seus profissionais e na aquisição de equipamentos modernos que ofereçam as melhores chances para que seu pet se reabilite com eficiência.

Na Fisio Care você encontrará profissionais prontos para estruturar um programa adequado de reabilitação para que seu pet resgate sua qualidade de vida. Quer soluções profissionais de como fortalecer as patas traseiras do cachorro? Encontre a unidade Fisio Care mais próxima de você, aperte o botão do WhatsApp abaixo e tire suas dúvidas ou preencha o formulário de agendamento abaixo e marque uma consulta agora mesmo.