Alimentação Natural para Cachorro – 5 Passos Fundamentais

Alimentação Natural para Cachorro – 5 Passos Fundamentais

Alimentação natural para cachorro: conheça alguns passos fundamentais para iniciar a mudança na dieta do seu cão de maneira qualificada e assertiva

Marque uma consulta com um de nossos nutricionistas veterinários. Encontre a unidade Fisio Care mais próxima de você ou aperte o botão do WhatsApp abaixo!

Os cães já ocupam uma função importantíssima na vida de uma casa, sendo uma cultura cada vez mais entranhada na formação de uma família. Junto com essa evolução também temos a compreensão de novos conceitos sobre a alimentação, principalmente pelo aumento de pessoas que compram produtos orgânicos, naturais ou holísticos buscando uma maior alimentação natural para cachorro.

Apesar da alimentação natural para cachorro possuir um histórico muito maior na vida dos caninos, afinal, a ração industrial do modo que conhecemos hoje tem sua história iniciada apenas nos anos 70, é importante que tomemos nota de alguns passos importantes na busca por uma alimentação natural para nossos pets.

Nesse artigo listamos algumas lições importantíssimas para quem quer implementar uma mudança na alimentação de seus pets, vejamos:

Passo 1: o que é considerado alimento natural para cães?

A verdade é que o termo “alimentação natural” pode abrir precedente para alguns equívocos comuns na hora de escolher qual alimento poderá entrar para a dieta do pet. Segundo a maioria das doutrinas que tratam desse tipo de tema, a alimentação natural consiste na composição de alimentos para animais sem eventuais aditivos e que apenas tenham sido submetidos a um processamento para torná-los aptos para consumo, mantendo o conteúdo de todos os nutrientes essenciais.

Essas dietas podem ser compostas com a formulação adequada às necessidade nutricionais de cada fase fisiológica dos pets, com quantidades equilibradas de nutrientes, sejam eles cozidos ou crus sem ossos (não tão recomendado), mantendo uma correta relação entre lipídeos, proteínas, carboidratos, minerais e vitaminas. Ou seja, não trata-se de apenas alterar a alimentação, mas de uma formulação planejada. Claro, sempre com auxílio de um profissional especialista no tema.

Passo 2: qual é a importância dos nutrientes na dieta natural canina?

Os cães podem sofrer muito com a deficiência de vitaminas ou minerais em sua dieta natural. A verdade é que o corpo canino precisa receber uma proporção equilibrada de proteínas, carboidratos, gorduras, minerais, oligoelementos e vitaminas. Dentro desses termos, também é preciso adequar cada dieta as necessidades nutricionais considerando a idade, raça e estado de saúde de cada pet.

De forma geral, é possível elencar a importância dos nutrientes na vida canina como:

  • Proteínas e aminoácidos: são a base da alimentação de um cachorro, compostas por aminoácidos essenciais, fornecendo energia e construindo ossos e músculos fortes ao animal. São alimentos ricos em proteínas encontradas em aves, carne, peixe, queijo e ovos, por exemplo;
  • Carboidratos: são importantes para manter o cão saciado e impedir que comam em demasia. É um item importantíssimo e exige equilíbrio em seu gerenciamento, pois sua ingestão em excesso pode causar diversos problemas de saúde como a obesidade, e sua pouca ingestão pode causar inatividade e ansiedade. É facilmente encontrado em alimentos como o arroz, aveia, milho, cevada, trigo, batatas e cereais em geral;
  • Gorduras e ácidos graxos: trabalham com a composição de uma energia de longo prazo para os cães, tendo como principais funções a manutenção do sistema hormonal, pelagem, órgãos vitais e funções cognitivas. Além disso, possuem um papel vital na manutenção da estrutura celular e das funções celulares normais dos pets. Também exige equilíbrio, pois sua ingestão em excesso pode causar obesidade, problemas cardíacos e artrite, e sua pouca ingestão pode tornar a comida rejeitada pelo pet. São encontradas em alimentos como carnes, óleo de peixe, leite, miúdos e óleos vegetais;
  • Minerais: são essenciais para o bom funcionamento do corpo e mente, sendo que seu melhor aproveitamento se dá através da variação de ingredientes, buscando o aproveitamento do cálcio (saúde do dos ossos e dentes), magnésio (funções hormonais, estrutura óssea e outros), fósforo (funções metabólicas e outros), potássio (digestão, transporte, impulso nervoso e outros), ferro (formação de componentes do sangue), zinco (multiplicação celular e outros), entre outros;
  • Vitaminas: desempenham papel significativo na manutenção e apoio às funções e saúde do corpo. Em resumo, animais com pele, pelo e sistema imunológico saudáveis são resultados da ingestão adequada de vitaminas.

Passo 3: como posso preparar uma comida natural de forma equilibrada?

Para acertar no equilíbrio de nutrientes você precisa incluir alimentos usando como base proporções aceitáveis para o caso do seu pet. Nunca use ingredientes sem estabelecer nenhum critério.

As proporções normalmente recomendadas são:

  • Carboidrato (arroz, batata etc) – entre 60 a 70% do prato;
  • Carne magra (sem gordura ou ossos) – entre 25 e 35% do prato;
  • Vegetais – entre 10 e 15% do prato.

Para cada quilograma preparado deve-se separar de 600 a 700 gramas de carboidratos, entre 250 e 350 gramas de carne magra e entre 100 e 150 gramas de vegetais (picados, cortados e cozidos para uma melhor digestão e absorção adequada das vitaminas).

Existem alguns alimentos perigosos para os cães como cogumelos, batatas cruas, tomates, cebolas, alho, cebolinha, uvas, passas, sultanas, pêssegos, ameixas, ruibarbo ou chocolate (nunca oferecer nem um pouco).

Passo 4: como saber a quantidade certa de alimento?

Existe uma recomendação geral (regra de ouro) que estipula que o cão deve comer 3% de seu peso corporal. Porém, a quantidade adequada dependerá de muitos fatores como necessidades calóricas e nutricionais, circunstâncias que podem fazer a necessidade calórica variar, nível de atividade, condição física, idade e outros.

Passo 5: cozimento e congelamento das refeições

Lembre-se de sempre:

  1. Cozinhar cada alimento separadamente;
  2. Ao congelar, este deve ser feito o mais rápido possível para evitar a deterioração do alimento;
  3. O descongelamento deve ser feito na geladeira naturalmente ou em banho maria e panela. Não utilize microondas;
  4. Complementos ou suplementos que podem ser congelados com as preparações: sal integral, cúrcuma, óleo de coco, gengibre, farinha de casca de ovos;
  5. Complementos ou suplementos que não devem ser congelados: levedo de cerveja em pó, óleos (exceto de coco), fórmulas manipuladas, alho.

Conte sempre com o auxílio de um profissional nutricionista!

É importante ressaltar que, como dito ao longo do artigo, a mudança de alimentação dos cães deve ser feita de maneira planejada e racional. Ou seja, levando em consideração o contexto que circunda o pet para que a dieta estipulada possa realmente suprir as necessidade nutricionais do animal.

A Rede Fisio Care Pet conta com profissionais nutricionistas qualificados e especialistas na formulação de dietas baseadas na alimentação natural para cachorro. Encontra agora mesmo a unidade Fisio Care mais próxima de você ou preencha o formulário de agendamento abaixo e marque uma consulta agora mesmo! Venha ver como podemos traçar um plano de alimentação mais saudável para o seu pet.

Agende uma Consulta