Cachorro paraplégico: cadeira de rodas para melhorar a vida do pet

Cachorro paraplégico: cadeira de rodas para melhorar a vida do pet

Entenda como pequenas mudanças e cuidados podem ajudar na qualidade de vida dos cães paraplégicos

Seja por causa de acidentes ou consequência de alguma doença, a paraplegia afeta muito a vida dos nossos amigos de quatro patas. Pense bem, a vida de um cãozinho é basicamente: correr, brincar e sair para passear.

Por isso, muitos tutores ficam preocupados quando veem seu pet sofrendo, sentindo saudades da vida ativa que costumavam levar. Já outros, graças a falta de informação, têm resistência em adotar ou manter em seus lares animais especiais como os cachorros paraplégicos. 

O que poucos sabem é que a vida desses bichinhos pode ser tão alegre quanto a de qualquer outro. Quer saber como? Então fique comigo até o fim. Neste artigo você vai ler sobre como você pode ajudar o seu pet a levar uma vida feliz, ativa e saudável.

Cuidados diferentes, não mais difíceis!

Para começar essa conversa, repita comigo: cachorro com deficiência pode ser feliz, sim! Na maioria das vezes, os nossos amiguinhos nem percebem que têm alguma diferença em relação aos demais.

Eles gostam de pular, fazer festinha e são tão companheiros quanto qualquer outro. Basta  ter alguns pequenos cuidados. Por exemplo, em alguns casos, o animal pode perder o controle de urina e de fezes.

Nesses casos a diferença é que, em vez de ter que retirar as necessidades do seu pet do tapetinho higiênico ou jornal, você vai ter que trocar fraldas. Ou seja, são cuidados diferentes, não mais difíceis que os que você teria com qualquer outro bichinho.

Quando o cachorro paraplégico pode usar a cadeira de rodas?

Se o pet tem força nos membros anteriores, o uso da cadeirinha é uma opção que pode facilitar muito a rotina do animal. Além de dar mais mobilidade a cadeirinha também ajuda a:

  • Prevenir o aparecimento das úlceras de pressão;
  • Fortalecer o corpo do animal ao proporcionar o ganho de massa muscular;
  • Proporcionar mais autonomia para o cachorro;
  • Evitar a obesidade canina;
  • Prevenir a indisposição e até mesmo a depressão (que pode ocorrer em animais com problemas de locomoção).

Mas atenção! Apesar de existirem muito tutoriais na internet ensinando a fazer a sua própria cadeirinha, essa não é a opção mais segura para o seu pet.

Nesses casos a consulta e orientação de um médico veterinário é indispensável. Apenas ele será capaz de avaliar se seu bichinho está mesmo apto para o uso da cadeira. Além disso, apenas um profissional qualificado poderá ajudar na adequação do equipamento, protegendo a postura do seu cãozinho.

Como funciona a cadeirinha de rodas para cachorros paraplégicos?

A cadeira de rodas oferece uma espécie de suporte aos pets que têm alguma dificuldade de locomoção. Ela é indicada para os animais que não têm os membros, possuem alguma deformação ou os que têm perda total e parcial de mobilidade.

A cadeirinha é vestida com suportes peitorais e rodinhas instaladas para facilitar a locomoção. E a maioria dos modelos funcionam de modo que os membros deficientes fiquem suspensos. Evitando que o pet se machuque arrastando suas patinhas ao andar.

Esse último detalhe pode parecer bobo, mas é muito importante. Isso porque a pele dos membros atrofiados é mais sensível e está mais suscetível a machucados.

O dono também devem ter em mente que o processo de adaptação à cadeirinha é diferente para cada animal. Ou seja, da mesma forma que existem aqueles que têm medo, também existem aqueles que amam logo de cara.

A dica é ter paciência e fazer reforços positivos do uso do equipamento. Sempre observando as reações do cão a cada estímulo.

Cuidados com a cadeirinha de rodas

Ao contrário do que muitos pensam, o cão não deve usar a cadeira de rodas o dia inteiro. Nem usar o equipamento pelo tempo que for, sem supervisão do dono. Isso porque, mesmo se ele for calminho, seu pet acabar sobrecarregando o abdômen, chegando a causar novas lesões.  

Opte por usar a cadeirinha apenas durante passeios com duração de 15 a 30 trinta minutos, dependendo da quantidade de vezes o seu cãozinho saia para passear. Caso tenha dúvidas sobre qual é a melhor opção para o seu bichinho, converse com um veterinário.

Em casa, o ideal é que você faça pequenas adaptações para que o seu cachorro tenha o mínimo de independência sem recorrer à cadeira.

Adaptações que dão mais mobilidade para o seu pet

  • Pisos lisos:

Por mais que seu pet se adapte à cadeirinha, em casa, ele vai se arrastar no chão. E superfícies ásperas causam atrito fazendo com que o seu bichinho tenha feridas de arraste.

O ideal é que ele fique em uma área com piso não tão liso, para que ele possa se locomover sem correr o risco de escorregar.

  • Rampas:

Mesmo que alguns cachorros paraplégicos sejam capazes de subir e descer degraus, o esforço que eles fazem pode gerar novas lesões. O ideal é que sejam instaladas rampas de acesso.

No caso das rampas, deve-se prestar atenção com a angulação. Quanto menor a angulação da rampa, mais confortável será para o seu amigo peludo andar por ela.

Paraplegia não é doença, é uma condição!

Não aceite que digam que a única solução para o seu cãozinho é a eutanásia. Com recursos como fisioterapia, acupuntura e equipamentos como a cadeira de rodas, o seu animal de estimação pode viver bem e, dependendo da causa de paralisia, ele pode ter mais de 60% de chance de voltar a andar!

Quer saber mais sobre a vida dos cãezinhos paraplégicos ou quer que o seu cachorro seja examinado pela nossa equipe? Basta clicar aqui para entrar em contato. Vamos adorar te orientar e auxiliar no que for preciso.