Comida Caseira para Cachorro – O Que Pode e Não Pode?

Comida Caseira para Cachorro – O Que Pode e Não Pode?

Comida caseira para cachorro: conheça os alimentos terminantemente proibidos aos cães e quais os alimentos saudáveis benéficos para uma nova dieta natural

Há uma tendência atualmente entre tutores no preparo de comida caseira para cachorro. Esse estilo de dieta vem se mostrando uma maneira positiva de optar por um cardápio saudável para os pets, porém, você sabe quais alimentos complementares podem ser oferecidos os pets?

Nesse artigo a Rede Fisio Care Pet separou uma lista de alimentos positivos e negativos para os cães. Assim, caso escolha por elaborar uma dieta através da comida caseira para cachorro, poderá optar por alimentos que não irão ferir o organismo e vida saudável do seu pet.

Alimentos que fazem mal para os cachorros!

1 – Chocolate: embora seja uma doce tentação, o chocolate é venenoso para os cães, podendo provocar sintomas importantes como: elevada temperatura corporal, sede anormal, agitação elevada, batimento cardíaco irregular ou mais acelerado, vômitos, tremores e convulsões.

2 – Cebola: a cebola danifica as células vermelhas do cão, podendo provocar reações preocupantes como fraqueza, anemia, urina vermelha e vômitos. Por isso o alerta negativo para dietas caninas que são concentradas no consumo de comida humana.

3 – Alho: prejudicial se ingerido em excesso, podendo causar graves danos às células vermelhas o que, por sua vez, pode implicar em anemia, vômitos, fraqueza e urina avermelhada. Entretanto, é possível sua utilização em doses bem pequenas no tempero e preparo das comidas caseiras caninas.

4 – Uva e uva passa: são alimentos que afetam negativamente os rins, principalmente pelo fato dos pets não terem a capacidade de digerir tais alimentos. Se ingeridos, é possível notar reações como uma letargia maior do pet, bebendo muito mais água, urinando mais e, por vezes, vomitando.

5 – Abacate: existe uma toxina presente no abacate chamada persin que causa danos ao nível do coração e problemas gastrointestinais, podendo causar diarreia e vômitos.

6 – Pêssegos e ameixas: não indicadas aos cães pelo fato do caroço presente na fruta. Caso engolido, pode obstruir os intestinos e causar intoxicação/envenenamento por cianeto.

7 – Nozes e macadâmia: afetam negativamente o sistema nervoso e muscular, podendo causar um aumento da temperatura corporal dos pets, tremores, letargia, fraqueza e vômitos.

8 – Massa de pão: o seu consumo pode causar envenenamento alcoólico em um cão, um vez que a fermentação ocorre no trato digestivo. Fique atento caso seu pet apresente diarreia, distensão abdominal, vômitos, letargia, desorientação, falta de coordenação motora, dificuldades respiratórias, convulsões, tremores e até estado de coma após ingerir massa de pão ainda cru.

9 – Bebidas alcoólicas: apesar de óbvio, é importante ressaltar que o consumo de álcool pelo cão pode provocar danos ao nível do sistema nervoso, com efeitos como desorientação, letargia, falta de coordenação motora, diarreia, vômitos, dificuldades respiratórias, convulsões, tremores e até estado de coma.

Como escolher alimentos saudáveis para o pet?

É preciso considerar que os cães possuem um histórico predador. Ou seja, que boa parte da dieta deles, ao longo dos séculos, foi feita com base na carne, já que a gordura fornece nutrientes importantes para o funcionamento dos órgãos.

O ideal é sempre pensar em uma estratégia para que o pet chegue a uma quantidade de proteínas e vitaminas necessárias para manter-se saudável com a nova alimentação natural. Para isso, é possível apostar na composição de cardápios com os seguintes alimentos:

1 – Carnes: carne bovina, suína, fígado, carne de frango, de cordeiro, peixes são ótimas opções para a composição de um cardápio natural aos cães. Claro, sempre cozidos com água e com o mínimo aceitável de sal. Nada de temperos…

2 – Fibras: a farinha de aveia é uma ótima fonte de fibras para cães com problemas de irregularidade intestinal. A única restrição na utilização desse tipo de alimento é não cozinhar a farinha nem adicionar qualquer quantidade de açúcar.

3 – Legumes e vegetais: também são ricos em fibras, garantem vitaminas e minerais e ainda possuem um baixo teor calórico e de gordura. É uma opção muito positiva para evitar que o pet ganhe peso ou que tenha problemas nas articulações e circulação, melhorando o sistema digestivo e ajudando a regularizar o funcionamento do intestino.

Confira quais legumes positivos para oferecer aos pets:

  • Abóbora;
  • Abobrinha;
  • Aspargos;
  • Batata (doce, yacon e comum);
  • Berinjela;
  • Beterraba;
  • Brócolis;
  • Cará;
  • Cenoura;
  • Chuchu;
  • Couve-flor;
  • Couve manteiga;
  • Ervilha fresca (não em conserva);
  • Espinafre;
  • Inhame;
  • Jiló;
  • Mandioquinha;
  • Mandioca;
  • Manjericão;
  • Nabo;
  • Palmito;
  • Pimentão (de todas as cores);
  • Quiabo;
  • Rabanete;
  • Salsinha;
  • Tomate;
  • Vagem.

O ideal, nesse tipo de alimento, é que sejam preparados como um purê, estando crus ou cozidos, além de cortados em pedaços pequenos e, principalmente, sem sal.

4 – Frutas: também são bem-vindas, porém, é recomendado que se tire todas as sementes, pois podem causar intoxicação. Devem também ser oferecidas em porções pequenas, em especial aquelas ricas em açúcares. Isso porque os cães não metabolizam muito rápido o açúcar e seu consumo excessivo pode deixá-los muito acima do peso.

Dentre as frutas mais benéficas aos cães estão:

  • Banana;
  • Caqui;
  • Maçã;
  • Pera;
  • Morango;
  • Goiaba;
  • Manga;
  • Kiwi;
  • Mirtilo/Blueberry.

Nunca se esqueça de consultar um especialista!

Antes de realizar qualquer alteração na dieta do seu cão o tutor deve consultar um nutricionista veterinário. Só ele saberá aconselhar-lhe corretamente sobre quais os alimentos ideais para a nova rotina do seu cão, afinal, cada pet tem seu próprio organismo e condições. Além disso, o especialista saberá lhe indicar qual o tamanho das porções e quantidade de vezes que o pet poderá consumir os alimentos escolhidos.

É importante compreendermos que mesmo que o cão ingira alimentos permitidos, estes podem desenvolver alguma alergia. Caso seu pet apresente algum tipo de comportamento excessivo e atípico depois de comer pode ser um sinal de alguma reação alérgica.

De qualquer forma, a busca por uma dieta baseada em uma comida caseira para cachorro é um desafio e tanto na mudança da rotina do pet. Portanto, sempre busque ajuda e maneiras saudáveis de preparo para que seu pet possa gradualmente acostumar-se com sua nova rotina de alimentação.

A Rede Fisio Care investe pesado na capacitação de seus profissionais, atuando em todos os processos de reabilitação e saúde, contando com nomes qualificados na nutrição veterinária com experiência na implementação de dietas com base na alimentação natural. Preencha o formulário abaixo e marque uma consulta com um de nossos especialistas agora mesmo! Venha ver como podemos auxiliar seu amigo na busca por uma vida mais leve e saudável.

Agende uma Consulta