Como Tratar a Cinomose – Raio-X Completo da Doença

Como Tratar a Cinomose – Raio-X Completo da Doença

Como tratar a cinomose? Conheça o que é a cinomose, os sintomas da doença, tratamento, prevenção e meios para resgatar a qualidade de vida do pet

A cinomose é uma das patologias mais cruéis que acometem nossos amigos caninos. É uma doença oriunda do vírus CDV (Canine Distemper Virus) que sobrevive por longos períodos em ambientes secos e frios, podendo atingir diferentes órgãos e atuar em todo o organismo dos pets. Compreender como tratar a cinomose de maneira preventiva ou imediatamente após a constatação da contaminação é essencial para combater o avanço dessa doença.

A cinomose em cachorro acomete com maior frequência cães jovens em seu primeiro ano de vida, porém, é comum a infecção de cães mais velhos ou outros que não estejam com seu sistema imunológico em perfeito funcionamento. É uma patologia altamente contagiosa e necessita de um entendimento das formas de tratamento e prevenção para que possamos evitar que nossos pets se contaminem com o vírus.

Antes de vermos como tratar a cinomose e formas de prevenção, vamos conhecer um pouco mais as características dessa doença.

O que é a cinomose?

Mas, afinal, o que é a cinomose?

A cinomose em cães, também conhecida como vírus CDV (Canine Distemper Virus), ou Vírus da Cinomose Canina (VCC), da família Paramyxovirus, do gênero Morbilivírus, é uma patologia que se origina na ação desse vírus oportunista e agressivo, atingindo cães que por alguma razão estão com o sistema imunológico enfraquecido como filhotes, cães idosos ou pets que estejam enfraquecidos em função de alguma outra doença, maus tratos ou problemas como o estresse excessivo.

É um vírus poderoso, pois sobrevive por um bom período (cerca de 1 mês) em ambientes frios e secos, podendo também, em alguns casos, permanecer vivo em ambientes mais quentes e úmidos.

A cinomose em cães é considerada muito agressiva pois possui uma evolução veloz, nos capacitando identificar os primeiros sintomas logo após 7 dias da contaminação. Infelizmente, em muitos casos a doença se manifesta de maneira devastadora, diminuindo consideravelmente as chances de melhora ou cura, principalmente pelas bruscas alterações neurológicas que provoca.

O nível de agressividade da patologia depende muito da (s) região (ões) que afetar como também pelo estado do sistema imunológico do cão. Pets com níveis adequados de imunidade normalmente conseguem eliminar o vírus antes que ele consiga se disseminar e atingir sintomas severos da doença.

Embora muitos países já tenham a cinomose erradicada, o Brasil ainda possui uma pequena parcela de pets não vacinados, o que aumenta consideravelmente as chances de contaminação. Dentre as raças mais suscetíveis ao vírus da cinomose estão: Husky, Greyhound, Weimaraner, Samoieda e os Malamutes do Alaska.

Um dos grandes problemas no combate a cinomose canina é a variedade de sintomas que ela provoca, o que dificulta o diagnóstico assertivo. Existem muitos casos em que é tratado os sintomas sem ter o conhecimento da infecção do vírus da patologia, promovendo certa melhora momentânea que logo retorna com sintomas ainda mais agressivos da doença.

A cinomose atinge os felinos?

O prefixo “cino” da patologia cinomose sempre é referente aos cachorros. Sendo assim, é uma doença que possui um caráter infeccioso que se restringe apenas aos cães, ou seja, a cinomose não atinge os gatos domésticos.

Como é feito o diagnóstico da cinomose em cães?

O diagnóstico da cinomose canina deve ser feito por um especialista veterinário. A primeira análise é feita sobre os sinais clínicos que o pet apresenta e na realização de exames de laboratório como radiografia ou PCR (exame de DNA) para a confirmação da presença do vírus da patologia.

No exame de sangue é observada a diminuição da imunidade do animal devido a replicação do vírus no sistema linfático. Um cão infectado elimina o vírus pela urina, fezes e secreções (nasal e ocular) em até 90 dias após a exposição ao vírus.

A partir dessas constatações será possível saber como tratar a cinomose da melhor maneira. O melhor tratamento depende sempre do estágio da doença e da condição de cada cão.

Cinomose: Sintomas!

É fundamental conhecermos os principais sintomas da cinomose para que o diagnóstico seja assertivo e certeiro para o combate imediato do vírus. Além disso, é importante que conheçamos os passos de nossos pets, se estão devidamente vacinados ou estiveram em contato com outros cães antes do aparecimento de sintomas como:

  • Febre;
  • Apatia;
  • Tosse;
  • Espirro;
  • Perda de apetite;
  • Vômitos;
  • Secreções oculares (conjuntivite);
  • Secreções nasais;
  • Diarreia;
  • Falta de coordenação motora;
  • Tique nervoso;
  • Convulsões;
  • Paralisia;
  • Mioclonias (contrações musculares involuntárias).

Como ocorre a contaminação da cinomose?

A transmissão da cinomose acontece, na maiorias dos casos, através do contato direto do cão com outros animais já infectados, ou por vias respiratórias, ar contaminado ou por fômites (objetos que já tiveram contato com o portador da cinomose). A principal fonte de infecção está na transmissão direta por secreção da boca e nariz de animais infectados.

É um doença que se apresenta em fases, podendo pular de uma para outra dependendo de cada caso concreto, da forma de contaminação e da condição do sistema imunológico do cão. Como dito anteriormente, é uma patologia de difícil exatidão no diagnóstico e no estágio em que se encontra pela grande variação de sintomas.

A maioria dos casos se inicia afetando a respiração do animal, com sintomas como pneumonia e secreção nasal purulenta, em seguida afetando sua visão, com secreção ocular purulenta e remela em grande quantidade. A fase neurológica é a última a se manifestar, porém, como dito anteriormente, existem muitos casos em que o cão apresenta alterações neurológicas no início, sem sinais digestivos e respiratórios.

Como tratar a cinomose? A cinomose tem cura?

Ainda não há um tratamento estritamente direcionado a cinomose, mas já há uma evolução notável dos resultados na aplicação de medicamentos para o controle dos sintomas mais agudos. A verdade é que o tratamento da cinomose consiste no combate efetivo dos sintomas para tornar a vida do pet mais confortável, além de prevenir possíveis infecções derivadas da patologia.

Quando ela é identificada em seu estágio inicial, o tratamento dos sintomas costuma permitir que o animal se fortaleça e seu sistema imunológico combata a ação do vírus, mas infelizmente são casos raros. A taxa de reversão da doença em cães com sistemas imunológicos frágeis é de 15%.

O mais importante é que o pet seja mantido em um ambiente com temperatura agradável, limpo, com boa alimentação de acordo com a indicação de um profissional qualificado.

É importante ressaltar que muitos casos em que a doença cessou sua evolução mais crítica, porém com sequelas musculares e neurológicas, é possível trabalhar em programas especiais de reabilitação através da associação de terapias como a ozonioterapia, acupuntura e fisioterapia.

  • Você pode conversar com um especialista sobre essas terapias encontrando a unidade Fisio Care mais próxima de você.

Qual é a forma de prevenção mais eficiente para a cinomose?

A melhor forma de prevenção da cinomose se dá através da vacinação, que pode ser feita em uma clínica veterinária a partir dos seis meses de idade. Os filhotes devem receber três doses dessa vacinação já na primeira fase de sua vida. Posteriormente devem receber uma dose da vacina anualmente.

É importante também evitar que seu pet tenha contato com animais infectados e esteja exposto ao mesmo ambiente em que vive ou viveu um animal infectado pelo vírus.

Aos filhotes, não é recomendado que o levem em parques ou locais abertos em que circulam outros animais antes de completados os 21 dias da última dose de vacinação, pois isso pode aumentar sua exposição ao vírus da cinomose e de outras doenças.

Conte sempre com profissionais qualificados para auxiliá-lo a como tratar a cinomose

A Rede Fisio Care Pet trabalha constantemente na evolução de programas de reabilitação voltados para o resgate da qualidade de vida dos pets através de diferentes terapias como acupuntura, quiropraxia, ozonioterapia, fisioterapia, hidroterapia e outros. São mais de 20 unidades espalhadas pelo Brasil oferecendo tratamentos para diversas patologias e lesões ortopédicas, neurológicas e em programas de emagrecimento canino.

Os programas de recuperação para cães com cinomose, após a cessão da evolução da doença, se dão na associação de três distintas terapias:

  • Ozonioterapia: terapia que utiliza o ozônio como agente terapêutico, estimulando todo o sistema antioxidante, promovendo grande liberação de oxigênio para as células, melhorando circulação sanguínea, ajudando na cicatrização de feridas, na oxidação de toxinas e no tratamento de dores crônicas;
  • Acupuntura: emprego de diferentes métodos que passam por técnicas de manipulação, massagens, agulhas, eletroestimulação, aplicação de calor, injeção de substâncias e raio laser, combatendo ciclos de dor e inflamações;
  • Fisioterapia: utilização de técnicas e exercícios que proporcionam desde uma recuperação mais rápido de cirurgias, até animais que voltam a andar depois de fortes traumas, é uma técnicas que busca a conservação e reabilitação da musculatura do pet, aumentando sua expectativa e qualidade de vida.

Investimos pesado na capacitação de nossos profissionais e na aquisição de equipamentos modernos que forneçam um ambiente perfeito para uma reabilitação gradual e saudável, sempre respeitando o estado clínico de cada animal e analisando cada caso concreto. Quer saber como tratar a cinomose e recuperar a saúde do seu amigo? Encontre uma unidade Fisio Care! Veja como podemos combater as sequelas da cinomose com programas profissionais de reabilitação animal.

Agende uma Consulta