Cachorro Idoso não Consegue Ficar em Pé

Cachorro Idoso não Consegue Ficar em Pé

Cachorro idoso não consegue ficar em pé: as principais patologias e lesões que afetam a mobilidade dos pets e os tratamentos mais eficazes para sua recuperação

Já não é uma rotina fácil a de um cachorro idoso, agora imagina a rotina de um cachorro idoso que não consegue ficar em pé. Pois é, os motivos que podem levar um cão a perder sua capacidade de locomoção se relacionam, na maioria dos casos, com lesões e patologias ortopédicas e neurológicas.

O cachorro idoso não consegue ficar em pé? Vejamos algumas causas comuns.

Problemas ortopédicos

Os problemas ortopédicos, que se relacionam com ossos e músculos, podem incapacitar o pet idoso pela dor infligida ao animal. Os exemplos mais corriqueiros desse tipo de situação é a artrose (doença crônica e debilitante que causa dores articulares), tumores ósseos, displasias e outras afecções do aparelho locomotor que também podem causar dor e dificuldades de locomoção.

Problemas neurológicos

Os problemas neurológicos que atingem a locomoção podem causar dor ou não. Alguns pets podem ficar paraplégicos, ou até mesmo tetraplégicos, em virtude de acidentes, hérnia de disco, mielopatia degenerativa ou tumores.

A tetraplegia ou paraplegia, em si, não são condições dolorosas. Porém, as hérnias de disco, espinha bífida e outras lesões, principalmente na coluna, podem sim ser dolorosas.

Existem também outras patologias neurológicas, mesmo sem causar dor ou paralisias, que podem enfraquecer o animal e afetar diretamente sua condição de coordenação motora.

Como combater a dor com eficiência?

A dor está presente na maioria dos casos de perda de locomoção em cães idosos. Portanto, se o seu cão foi diagnosticado com alguma condição dolorosa, não deixe de tratá-lo, e não o medique apenas quando ele parecer realmente ruim. Afinal, é muito mais fácil impedir que uma dor progrida do que diminuí-la depois que já alcançou um nível intenso. Por isso a importância de um tratamento contínuo para combate da dor. Mas como?

Além dos medicamentos de combate a dores e inflamações que irão ser receitados pelo profissional veterinário, outros tipos de terapia estão ganhando espaço no mercado e trazendo diversos benefícios a vida do cão idoso:

1 – Acupuntura veterinária: a terapia visa a restauração e manutenção da saúde do pet através do equilíbrio de sua energia vital. A técnica consiste no estímulo de determinados pontos do corpo do cão através da inserção de agulhas, massagens, técnicas de manipulação, eletroestimulação, aplicação de calor, ultra-som, injeção de substâncias e o uso de raio laser.

A acupuntura, através de um diagnóstico correto, poderá equilibrar os meridianos afetados (canais por onde circulam a energia vital do organismo), influindo em órgãos internos, tecidos moles, no emocional e outros. A liberação de endorfina e cortisol causa relaxamento muscular, melhorando o funcionamento muscular e orgânico do animal como um todo.

É uma terapia muito recomendada para a saúde de cães idosos por ser pouco invasiva, propícia para qualquer enfermidade ou localização, não causa dores nem reações adversas e, por vezes, elimina a necessidade de intervenções cirúrgicas.

2 – Fisioterapia veterinária: as diferentes técnicas de fisioterapia animal fornecem desde uma recuperação mais veloz de uma cirurgia, até animais que voltam a andar depois de fortes traumas e lesões, proporcionando conforto aos pacientes, conservando musculatura, evitando novas intervenções cirúrgicas, aumentando a expectativa e qualidade de vida dos pets.

É totalmente recomendada para a maioria das patologias e lesões ortopédicas e neurológicas como: artrose, displasia coxofemoral, hérnia de disco, traumas, lesões, ruptura de ligamento cruzado, obesidade e outros.

3 – Hidroterapia veterinária: essa terapia já possui amplo reconhecimento no âmbito da reabilitação muscular, osteoarticular, neurológica e cardiorrespiratória animal. As propriedades físicas da água como flutuabilidade e pressão hidrostática são perfeitas para a promoção de mobilidade e bem estar.

O objetivo central da hidroterapia veterinária, que costuma se utilizar de esteiras aquáticas, é fazer com que os pets consigam restabelecer o mais rápido possível o seu equilíbrio e qualidade de vida.

Os benefícios são enormes como: fortalecimento dos músculos, alívio da dor, tensão e inchaço, aumento gradual na amplitude de movimentos das articulações, alívio dos espasmos musculares, melhora ativa da circulação sanguínea, melhora na condição física e psicológica (pulmões, coração e confiança para realizar movimentos mais complexos) e aumento da velocidade na recuperação de lesões.

Conte sempre com clínicas especializadas para acompanhar o seu amigo

Muita gente mantém seus pets longe dos olhos profissionais, porém, é muito importante a regularidade de consultas, principalmente para os cães idosos. Afinal, sua saúde costuma ser mais frágil, resistindo pouco a doenças e infecções como diabetes, catarata, queda dos dentes por tártaro e outros.

A vistoria contínua por profissionais qualificados pode significar o diagnóstico precoce de possíveis doenças, tratando problemas renais e de coração, impedindo problemas maiores e aumentando as chances de recuperação.

A Rede Fisio Care Pet, por exemplo, conta com os melhores programas de combate a obesidade canina, osteoartrose, dores em cães idosos e recondicionamento físico. Traçamos um planejamento personalizado no tratamento e recuperação canina, com hidroesteira, acupuntura, ozonioterapia e outros métodos profissionais de reabilitação animal.

Cachorro idoso não consegue ficar em pé? Encontre a unidade Fisio Care mais próxima de você ou preencha o formulário de agendamento abaixo e marque uma consulta agora mesmo! Venha ver como podemos encontrar o diagnóstico preciso para o seu amigo, traçando um programa de reabilitação gradual e saudável para o resgate de sua qualidade de vida.

Agende uma Consulta