Discoespondilite em Cães – Conheça a Patologias

Discoespondilite em Cães – Conheça a Patologias

Discoespondilite em cães: o que é, causa, propensão, sintomas e tratamento eficaz. Saiba tudo sobre a doença e importância da reabilitação efetiva

Você pode conversar com um de nossos especialistas sobre o tema. Encontre a unidade Fisio Care mais próxima de você e marque uma consulta agora mesmo

A discoespondilite em cães pode ser caracterizada como uma forma de infecção que ocorre nos discos intervertebrais da coluna e ossos da região atingida no pet via fungo ou bactéria. A origem dessa patologia é comumente associada a feridas na pele, aspirada via pulmão ou vinda de outra infecção qualquer no corpo do animal.

Propensão e maior incidência

Os cães machos e de porte grande são os mais propensos a contrair a discoespondilite canina, podendo atingi-los em qualquer idade. É uma patologia rara em gatos, porém outra patologia parecida é mais comumente encontrada nos felinos: a osteomielite vertebral, que não acomete os discos e aparece em decorrência de ferimentos externos. A região mais afetada nos pets são as regiões tóraco lombar e lombar.

Quais os sintomas da discoespondilite em cães?

O sinal mais visível da discoespondilite em cachorro é a presença de uma dor muito intensa na região atingida, podendo alcançar alterações neurológicas de paralisia e dificuldade de locomoção em razão da inflamação e intensidade da dor. Outros sintomas comuns relacionados a patologia são: letargia, perda de peso, perda de apetite, fraqueza e febre.

Como pode ser feito o diagnóstico?

O diagnóstico, na maioria dos casos, é fechado através de raios-x da coluna vertebral. Porém, em alguns casos é necessária uma tomografia e ressonância para se ter uma maior certeza na determinação da extensão real da doença. Importante ressaltar que o aparecimento das lesões ósseas no RX pode demorar até 3 semanas.

Outros diagnósticos podem ser realizados a fim de buscar qual é a fonte original da infecção, em conjunto com a identificação do organismo infeccioso que está causando o problema. Ainda é possível a realização de outros testes como:

  • contagem de células sanguíneas;
  • perfil de química do sangue;
  • análise de urina;
  • cultura de sangue;
  • cultura de urina;
  • radiografia de tórax;
  • seleção de sangue para sorologia de fungos;
  • avaliação de ultrassonografia do coração;
  • avaliação do ultrassom do abdômen;
  • análise e cultura de fluídos espinhais;
  • screening for Brucellosis (infecção bacteriana que é transmitida sexualmente);
  • biópsia das estruturas afetadas.

Como ocorre?

As bactérias ou fungos entram na corrente sanguínea através dos abcessos dentários, feridas, doenças que diminuem a imunidade do pet, através das vias aéreas (pulmão) ou mesmo em decorrência de outras infecções sistêmicas.

Os primeiros estudos sobre a patologia apontavam a bactéria Staphylococcus Aureus como o principal agente causador, contudo, um patógeno canino de nome Stafilococcus Intermedius foi recentemente identificado.

Qual o tratamento eficaz para discoespondilite canina?

O tratamento mais eficaz para a doença envolve o uso de analgésico e antibióticos por um período longo de tempo. Quando há a cultura de sangue ou biópsia para descobrir qual é o agente causador, o tratamento baseado nesses organismos ajudam e aumentam as chances de recuperação do pet, que deve manter-se em repouso absoluto para evitar fraturas patológicas.

Mesmo quando medicado, o pet pode ainda ficar com sequelas dependendo da intensidade da lesão que essa infecção causou na coluna e no disco intervertebral. De qualquer forma, além da necessidade de um diagnóstico profissional e um tratamento medicamentoso eficaz, é preciso garantir um programa de reabilitação eficiente para o pet.

Os cães em recuperação de discoespondilite apresentam uma melhora significativa em sua alimentação e ânimo, mas em muitos casos é preciso um período de readaptação de sua força física e equilíbrio muscular.

Nesses termos, os programas de reabilitação com fisioterapia veterinária oferecem um programa eficaz de recuperação, pois fornecem atividades perfeitas para um recondicionamento muscular qualificado sem que haja um excesso de esforço que possa gerar novas lesões para o cão já acometido.

Técnicas como hidroterapia veterinária, acupuntura, quiropraxia e outras, criam um ambiente perfeito de atividades e terapias que irão combater as sequelas de dor e dificuldade de locomoção, resgatando a qualidade de vida do pet.

Conte sempre com clínicas profissionais para a reabilitação do seu pet!

Existem muitos relatos em que a discoespondilite em cães foi confundida com patologias como cinomose e erliquiose, em alguns casos sugerido ainda a eutanásia. Por isso, é importante sempre contar com clínicas especializadas em diagnóstico e reabilitação de pets. Ainda tem dúvidas? Encontre a unidade Fisio Care mais próxima de você ou preencha o formulário de agendamento abaixo e converse com um de nossos especialistas!

Agende uma Consulta