O que Fazer Quando o Cachorro Não Consegue se Levantar?

O que Fazer Quando o Cachorro Não Consegue se Levantar?

O que fazer quando o cachorro não consegue se levantar? Entenda quais as causas mais comuns e os tratamentos mais eficientes para combatê-las

Quando um pet começa a arrastar as patas e tem dificuldade em caminhar, logo surgem diversas preocupações: o que será que causou isso? O que fazer quando o cachorro não consegue levantar? Será que ele vai voltar a andar?

A incoordenação, dificuldade para caminhar ou correr, paralisias, fraqueza, desnutrição, doenças, são diversas as possibilidades e muitas vezes fica difícil saber por onde começar para ajudar seu amigo.

O primeiro passo, antes de fazer qualquer coisa, é identificar como tudo começou. É preciso averiguar se não há nenhum evento traumático como um acidente ou fratura, por exemplo, ou se teve um início gradual e aos poucos essa complicação foi aumentando.

Muitas doenças podem levar à fraqueza do pet e fazer com que ele tenha dificuldades de mobilidade. Patologias como a cinomose, erliquiose, mielopatia degenerativa, botulismo, desnutrição e outros, são condições que invariavelmente atingem a mobilidade do animal e precisam de uma consulta profissional urgente. Entretanto, existem algumas condições mais comuns que afetam a mobilidade dos pets e que podem ser perfeitamente tratáveis.

Quais as condições mais comuns que afetam a mobilidade dos pets?

1 – Displasia coxofemoral: é uma patologia genética com avanço por fatores ambientais (como obesidade, excesso de exercícios ou convivência com pisos muito lisos). Trata-se de uma má formação ou degradação da articulação coxofemoral, responsável por unir o fêmur à pelve. Acomete principalmente cães de grande porte como Pastor Alemão, Golden Retriever, Labrados, Buldogue Inglês e outros, mas que também pode atingir cães de raças menores.

Costuma provocar muita dor na região do quadril, manqueira, artrose, atrofia muscular e, dependendo do grau de severidade, causar até paresia grave. É uma patologia relativamente difícil de diagnosticar, principalmente pelos sintomas serem similares a de outras patologias.

A displasia coxofemoral não tem cura, mas a união de tratamentos medicamentosos, conservativos e, quando necessário, intervenção cirúrgica, tem se mostrado uma opção eficiente para o combate a progressão da doença.

2 – Artrose: doença degenerativa das articulações. Atinge, na maioria dos casos, cães idosos e pacientes com excesso de peso. É caracterizada pelo desgaste da cartilagem que cobre o interior das articulações e dos ossos gerando perda de elasticidade da articulação, gerando dor e impedindo a movimentação natural dos pets.

Por vezes a artrose pode ser encontrada em casos de displasia coxofemoral, como uma condição secundária, e também não possui uma cura efetiva. Entretanto, os tratamentos anti-inflamatórios (acupuntura, laserterapia, ozonioterapia e outros) em conjunção com medicamentos e exercícios de baixa intensidade (cinesioterapia, hidroterapia e outros), são excelentes maneiras de impedir a progressão da artrose.

3 – Discopatias: uma condição relativamente comum na medicina animal, alterando o sistema nervoso e diminuindo movimentos com dor e até incontinência urinária (dependendo do grau de severidade). Costuma, em grande parte dos casos, ser causada por alguma lesão ou trauma na medula espinhal, apresentando sintomas típicos como caminhar cauteloso, pescoço rígido e até mesmo paralisia dos membros.

A hérnia de disco é a mais comum das discopatias e afeta muitos cães. O tratamento consiste na utilização de agentes anti-inflamatórios para combater a dor e inflamação em conjunção com exercícios de baixa intensidade que buscam fortalecer a musculatura, aumentar a flexibilidade e garantir uma condição física adequada para que o pet mantenha sua qualidade de vida.

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico é comumente feito através dos sintomas descritos, fazendo um histórico fiel e completo da saúde do pet, analisando os sintomas e quando eles começaram, assim como possíveis acidentes que possam ter agravado ou criado o quadro de paralisia.

O especialista irá realizar diversos exames, desde raio-x até tomografia e ressonância magnética (quando necessária), a fim de encontrar o diagnóstico assertivo e traçar as melhores estratégias de tratamento.

Meu cachorro vai voltar a andar?

A resposta irá depender da causa que levou ao problema, mas como dito anteriormente, a maioria dos casos de dificuldades de movimentação passam por problemas ortopédicos e neurológicos que possuem tratamentos conservativos eficientes. Portanto, nunca deixe de levar o seu pet ao veterinário.

Conte sempre com clínicas profissionais e qualificadas

A Rede Fisio Care Pet investe pesado na qualificação de seus profissionais e na aquisição de equipamentos modernos que forneçam aos pacientes um ambiente perfeito para uma recuperação gradual e saudável. São mais de 20 unidades espalhadas pelo Brasil, sempre empregando os melhores e mais eficientes protocolos de atendimento.

Quer saber o que fazer quando o cachorro não consegue se levantar? Marque uma consulta no botão de WhatsApp ou no formulário de agendamento abaixo. Encontre a unidade Fisio Care mais próxima de você e venha ver como podemos ajudar o seu amigo.

Agende uma Consulta