Raio-X em Hérnia de Disco – Qual Importância?

Raio-x em hérnia de disco: quais os benefícios e objetivos do raio-x no diagnóstico da hérnia de disco em cães. Saiba quando é preciso um exame de imagem

As formas de diagnóstico da hérnia de disco em cães evoluiu muito ao longo dos anos. Além da análise presuntiva, ou seja, onde o especialista veterinário irá se basear em informações como a raça, histórico de saúde, andar descoordenado ou paralisia, diferentes exames de imagem como o raio-x em hérnia de disco se tornaram fontes mais confiáveis de diagnóstico.

É importante ressaltar que a hérnia de disco em cães pode ser causada por problemas diversos, tendo na tomografia computadorizada e ressonância magnética uma forma mais precisa de diagnosticar a patologia.

Para que serve o raio-x e como auxiliar positivamente no diagnóstico da hérnia de disco em cães

O exame de raio-x é utilizado para ter uma imagem interna do corpo dos pets, sendo uma das maneiras mais eficientes de diagnosticar patologias a mais de 30 anos. Em outras palavras, trata-se de um exame que fotografa o animal por dentro permitindo uma visão panorâmica das estruturas torácicas, abdominais, ósseas e articulares dos pets.

Nenhum tutor pode solicitar exames de raio-x para seu pet. Porém, é possível auxiliar de forma decisiva no direcionamento do diagnóstico através de informações específicas sobre o estado de saúde do seu pet. Dentre os sinais agudos que podem indicar a necessidade de um exame de raio-x em cães e gatos, está:

  • Sinal de manqueira ao andar;
  • Dificuldade e dor ao levantar;
  • Sensação de dor quando tocado em alguma parte do corpo;
  • Suspeita de ingestão de materiais indevidos;
  • Inchaço de alguma parte do corpo.

Claro, casos mais graves como atropelamentos e quedas certamente terão o direcionamento para um exame de imagem que possa esclarecer os danos causados.

Quais as vantagens de realizar o exame de raio-x?

Assim como identificamos na medicina humana tradicional, o exame de raio-x é um dos exames de maior importância para o médico veterinário, sendo um passo chave para complementar o diagnóstico de diversas patologias. Dentre as vantagens objetivas mais relevantes podemos destacar:

  • Permite o diagnóstico precoce de diversas patologias, facilitando a rápida intervenção e tratamento;
  • É indolor;
  • Não é invasiva;
  • O resultado é rápido (geralmente 24h);
  • Sua realização é rápida, trazendo o mínimo de desconforto ao pet.

É importante ressaltarmos que o RX nunca irá diagnosticar uma hérnia de disco, pois o disco e a medula são de difícil visualização no rx simples, mas o exame é de suma importante para excluir outras lesões como fraturas ou neoplasias da coluna.

Quais os sinais clínicos mais comuns em pets que estão sofrendo com a hérnia de disco?

Os cães com hérnia de disco costumam apresentar sinais clínicos variados, desde dor até alterações dos reflexos espinhais, do tônus muscular, atrofias ou hipotrofias musculares, ataxias, paralisias e até mesmo paresias, além de alterações na capacidade de micção e defecação.

Esses sinais podem variar conforme a localização e grau de compressão medular. O raio-x, associado ao exame neurológico e clínico, irão sugerir o local da lesão, podendo exames de tomografia e ressonância magnética serem opções ideais para confirmar com mais exatidão o diagnóstico.

Quais os tratamentos mais comuns?

Os tratamentos podem ser conservadores ou cirúrgicos:

  • Os tratamentos cirúrgicos costumam se utilizar de fenestração e técnicas descompressivas.
  • Os tratamentos conservadores envolvem medicamentos (anti-inflamatórios e analgésicos) e repouso. Nesses casos, as técnicas complementares se tornam essenciais.
  • A acupuntura veterinária é uma opção, podendo atuar na liberação de endorfinas controlando a dor e auxiliando no reestabelecimento das funções neurológicas perdidas.

A importância da fisioterapia veterinária no processo de recuperação do cão com hérnia de disco

A fisioterapia animal tem papel fundamental em todas as fases de recuperação de animais com hérnia de disco. Inicialmente pode auxiliar na analgesia com uso de eletroterapia, com TENS (Estimulação Elétrica Nervosa Transcutânea) e FES, além da laserterapia no controle da inflamação.

No caso das funções neurológicas, os estímulos proprioceptivos como a escovação dos membros é indicado desde as primeiras fases. Nesse período, as técnicas de movimentos e exercícios passivos estimulam o retorno precoce de movimentos e previnem as contraturas e atrofias musculares.

Os pets que já não mais apresentem dores e inflamações podem passar para exercícios ativos e ativos assistidos, procurando o restabelecimento do caminhar, desenvolvimento de coordenação e retorno de massa muscular. Nessas técnicas, podemos utilizar pranchas, caminhadas assistidas (esteira seca ou hidroesteira) e pistas proprioceptivas, sempre estimulando e incentivando a superação de obstáculos e limitações.

Muitas vezes, em casos de paralisias irreversíveis, o estímulo, acompanhamento profissional e carinho são essenciais para que os pets possam desenvolver, ao menos, o caminhar medular, manter sua independência e qualidade de vida.

No caso de pets com apenas casos de dor (controladas por medicação), a fisioterapia veterinária se torna essencial para que ele não tenha recidiva do quadro. Nesses casos, a fisioterapia irá tratar os encurtamentos musculares, alongando a coluna e promovendo o fortalecimento muscular paravertebral.

Quer a melhor indicação de diagnóstico via raio-x em hérnia de disco? Encontre a unidade Fisio Care mais próxima de você ou preencha o formulário de agendamento abaixo e marque uma consulta agora mesmo. Garanta os melhores métodos de diagnóstico e tratamento para o seu pet recuperar a qualidade de vida!

Agende uma Consulta